Receba DICAS EXCLUSIVAS por e-mail

Digite seu e-mail acima e receba na hora dicas para entender mais sobre os homens

perigoTodo mês, naquele mesmo período depois que ovulo, meu corpo fica tomado de muita raiva (e muito calor!!!hehe).

Não que isso justifique, mas eu nem quis procurar pelas musicas para os casais românticos prepararem algo especial. Minha fala da semana passada justificava o dia dos namorados como mais uma consequência do capitalismo, afinal, tem muitos casaizinhos por ai que vivem a farsa só no dia (ou na noite), e nos outros 364, não se suportam, se traem e se tratam mal.

Com certeza eu não devo ser a única mal humorada que sofreu de TPM (Transtorno Pré-Mentrual ou Transtorno Pré-Monstrual) semana passada, penso que algumas se identificarão com os meus sintomas ao lerem a postagem, enquanto também sei que muitas sofrem muito, muito mais que eu.

Vocês sabiam que mulheres com tensão pré-menstrual pensam em suicídio?

Um estudo na Grã-Bretanha, encomendado pelo Serviço de Aconselhamento Nutricional às Mulheres, realizado com 400 mulheres, concluiu que mais de oito entre 10 mulheres que sofrem de TPM, sofrem tanto com a dor provocada por cólicas que acabam até pensando em suicídio; as mesmas também  sentem-se violentas e agressivas durante um período de até duas semanas antes da menstruação… puts, essa sou eu!!! Sem falar na instabilidade do humor, nas mamas doloridas, no corpo inchado e no ganho de peso! Ufa, ser mulher não é fácil!

Achei que eu era exagerada até ler esta pesquisa. Caramba! Duas semanas? É enlouquecedor demais, ninguém suporta, nem a gente! E de fato, comigo antecede 10 dias antes da visitar do “Chico” (minha falecida avó usava este termo para não ter que pronunciar perto do sexo oposto a palavra menstruação), e eu me irrito com barulhos, com mulheres no volante, com mal atendimento em restaurantes, com coordenadora de escola puxa-saco, com filhos questionando, com o espelho que me revela as gordurinhas a mais, e principalmente com cantadas de homens (não é a toa que eles fogem de mim!). Como contei no início, semana passada eu sequer tive vontade de trazer as músicas que prometi (e aproveito para me desculpar) mas fica para outra ocasião tá?!

Parceiros inteligentes, passivos e compreensivos são raros. Certa ocasião uma pessoa próxima comentou que nestes períodos o marido era atencioso demais, porque não abria a boca nem para elogiar, senão tomava! Capricho para alguns, mas acredito que o ceder faz parte da boa convivência, e o cara na verdade é esperto, encontrou uma maneira de conviver bem com a mulher com TPM.

Mas na real não encontramos homens ‘perfeitinhos’ assim não. O cara quebra o barraco também. Se você grita, ele grita mais alto. O problema é que durante o transtorno o último grito é o nosso. Não é a toa que 80% das mulheres da citada pesquisa afirmaram que além de se sentirem depressivas, seus estados desequilibrados afetaram a relação com os seus respectivos parceiros.

O f*** disso tudo é que o tratamento mais usado pelos profissionais da saúde é nos entupir de anti-depressivos, enquanto poucos sugerem a cirurgia de histerotomia (incisão do útero).
“Encomendada pela terceira vez (as outras em 1996 e 2001), os pesquisadores concluíram que 57% das mulheres já pensaram em suicídio, uma taxa 7% mais alta do que em 1996. 97% delas sofrem com mudanças de humor e 94% sofrem de ansiedade. A depressão atinge 92% dessas mulheres e 84% delas se sentem agressivas e violentas. 73% das entrevistas sentem perda de apetite sexual, uma taxa 13% superior à de cinco anos atrás” (isso não procede com as brasileiras, o que eu ouço é que elas se irritam por estar com um fogo desgraçado e não ter um PA para apagar…kkk). Maryon Stewart, fundadora do Serviço de Aconselhamento Nutricional às Mulheres, disse que “é um absurdo, numa sociedade onde é possível clonar novos órgãos e mandar mulheres para a lua, as únicas opções para quem sofre de TPM são mantê-las continuamente dopadas, ou fazer uma cirurgia que acelera a menopausa, além de aumentar os riscos de osteoporose e doenças do coração”.

Muitos pesquisadores acreditam que os sintomas da TPM estão relacionados às flutuações cíclicas dos hormônios sexuais femininos durante o período menstrual, mas outras pesquisas sugerem que pode ser provocada por hipoglicemia, hipotireodismo, ou deficiência de vitaminas do complexo B, cálcio ou magnésio.

Por este transtorno ser o mal do século para muitas mulheres, a jornalista Erica Perazza saiu à campo e sua pesquisa define os níveis desse transtorno do cacete:

Tipo 1: é o básico. A mulher fica impaciente, deixa de gostar e de querer fazer coisas do nada, só porque…bom, nem sabemos explicar o motivo. Mas nos irritamos porque vocês chegam 5minutos adiantados, pior se cheggam 5 minutos atrasados. Implicamos com tudo, ficamos nervosas, estressadas, inquietas, ansiosas. Quem sente que nesses dias o mundo, tudo e todos, conspiram contra nós, junte-se aqui amiga, e não se sinta mal por isso ok?! RS

tpm2Tipo 2: depressivo/sensível. Poxa, antes eu não me encaixava neste tipo, mas caramba, quanto mais envelheço mais urucubaca vai aparecendo! De uns tempos pra cá, se alguém mais forte me abraça, até dói, e isso também acontece com meu filho que é magrinho-magrinho; dá até dó porque boto ele para correr, onde ele encosta me machuca, até o fio de cabelo dói (e juro que não é frescura!). Ao mesmo tempo que ficamos doloridas, também estamos emotivas, do tipo que se emociona quando alguém pergunta por educação: “Oiii, você está bem?”. Bom, não sou tão deprimente assim, mas tem dia que tenho que segurar as lágrimas… Mas pensa que foda, o mundo acabando, você se desfazendo por dentro, e vem um babaca perguntar se você está bem: É CLARO QUE NÃO, COMO EU PODERIA ESTAR BEM DE TPM PORRA!? Neste período, as mulheres do tipo 2 não chegam a pensar em suicídio, mas que dá vontade de morrer, só para sumir,isso dá viu; e quando passa esta bobagem pela cabeça a gente pensa ‘morrer pra que? Ninguém vai sentir falta, talvez os vizinhos quando perceberem que tem algo putrefando no ar, ou porque cessaram os gritos com as crianças!kkkk


Só sei que nos sentimos as mais sozinhas do mundo, e somos tão melancólicas que embarcamos e gostamos de aprofundar nessa solidão. É tão ambíguo porque ao mesmo tempo que tudo é fofo, lindo, também é horrível, infeliz, angustiante, e tudo sentido de forma muito intensa! Quem se identifica, entende o que quero explicar, e o quanto mais infeliz nos sentimos, melhor nos sentimos. Por favor homens,não queiram entender suas namoradas, apenas aceitem e respeitem. É o melhor que fazem, senão vai sobrar para vocês também!

tpm3Tipo 3: o nível mais perigoso porque junta-se ao nível um. Estamos grossas, indelicadas, perigosas, e reagindo aos sintomas do primeiro nível. Ou seja, NUNCA, JAMAIS, contrarie ou prometa algo para uma mulher do tipo 3, nem só um brigadeiro que seja, porque se você não trouxer, viramos o cão, mas se você trouxer, vai tomar também, ‘está querendo o que? Nos ver gordas e imensas’? Por isso não combine se não for aparecer, não prometa se não for dar, e jamais reaja, senão até Hitler vai ter dó de você! Temos uma capacidade imensa e criativa de planejar vinganças neste período…

Tipo 4: bipolar.  Está tudo lindo, maravilhoso, ótimo e perfeito…só que não está! Ela consegue sarcasticamente fingir e ser irônica, e penso que esse tipo é o pior porque você pensa que a conhece, mas na verdade se quer desconfia com quem está lidando. Mas bipolaridade é um sintoma, tem tratamento, e sugiro que, quando ela não estiver de TPM (pelo amor de Deus, durante jamais!), sugire, ou então a leva, ao psiquiatra e ao psicólogo, porque de nada adianta tratar só com remédios.

Como sofredora assídua há pelo menos 22 anos, posso garantir que já sofri muito com a danada TPM. Não me refiro às injeções de lisador por conta de tanta dor e queda de pressão por causa da dor, mas em relação a ser tão mal compreendida, e em maltratar pessoas que gostamos.

Nada como o tempo – e as rugas – para nos fazer amadurecer… e melhorar!

Hoje admito que tenho meus pitis, que boto muito homem pra correr por conta disso também…mas descobri tratamentos alternativos, como a psicoterapia, os florais, o ioga, exercícios físicos, suplementos alimentares e polivitamínicos, e a homeopatia tem sido fantástica! Tem uma ervinha, a valeriana, cuja tintura passei tomando o mês todo de abril, daí quando veio em maio foi tranquilo. Acabou a abençoada e não tomei mês de junho…nem perguntem como agi e reagi na semana passada. Resumindo: vou estocá-la para não ter mais esses contratempos, não em grande escala! Daí a gente dá uma de louca – e acho-me no direito de explodir, afinal, sou humana e não barata – mas daí pagamos o preço do remorso, do julgamento…não rola né.

Uma psicoterapeuta bioenergética que sou apaixonada me disse certa vez que esse período onde ‘menstruamos’, na verdade também colocamos para fora tudo que está dentro, incomodando, nos ferindo e perturbando…e como não aprendemos, ou nem tentamos lidar com essas questões, elas explodem de uma vez só.

O ideal é cuidarmos do nosso emocional, e no dia-a-dia, passarmos a refletir sobre as mudanças necessárias em nossas vidas, e colocá-las em prática. Difícil? Que tal começar tentando?

Lá vai algumas dicas para as sofredoras, e seus homens, que também sofrem junto com a danada.

Para as mulheres

+ Essencial praticar alguma atividade física para que seja liberado no corpo hormônios do prazer, que nesta fase, deixam de ser ‘produzidos’, bem como o progesterona, porque o estresse nesta fase aumenta, e quando o corpo está estressado ele libera cortisol, um hormônio produzido principalmente pelas glândulas supra-renais, em resposta a sentimentos de medo, raiva, ou mesmo pelo sentimento de competição. Em excesso, o cortisol pode estimular sentimentos de raiva, irritabilidade e cólera;

+ Tomar diariamente suplementos multivitamínicos e multiminerais, contendo:Zinco (10 mg), Complexo B, Vitamina B6 (50 mg), Vitamina C (500 a 1000 mg), Magnésio (300 a 400 mg) e Vitamina E (400 UI)

+ Seguir uma dieta baseada em hortaliças e verduras orgânicas, frescas e ricas em fibras, assim como frutas, nozes e cereais integrais

+ Comer peixe duas vezes por semana, tomar chá da raiz da bardana e/ou raiz de dente-de-leão

+ Tentar controlar o stress, para evitar níveis cronicamente elevados de cortisol

+ Deve-se evitar: Pílulas anticoncepcionais, açúcar e carboidratos refinados, gorduras hidrogenadas (margarinas) ou gorduras e óleos insaturados, carne de gado ou frango criados em regime de confinamento (preferir o tipo orgânico, livre de hormônios, antibióticos e pesticidas), stress crônico, e todos os tipos de pesticidas (ou seja, jejue a base de pão e água!kkk)

Aos homens:

Seja você amigo, parceiro, companheiro, irmão, ou tenha qualquer outro vínculo afetivo…CUIDADO, muito cuidado com as mulheres durante esse período! Jamais,nunca, never, a contrarie.

Pensando bem, melhor se afastar, saia de perto quando o alerta vermelho piscar… Mas tome outro cuidado: AI DE VOCÊ SE FICAR MUITO LONGE E POR MUITO TEMPO!!!rs


O que achou do artigo?

comentários

Tati Daniel

Mulher bombril, mãetorista, consultora sensual e graduanda em psicologia

Receba DICAS EXCLUSIVAS por e-mail

Digite seu e-mail acima e receba na hora dicas para entender mais sobre os homens

Deixe seu comentário

Este artigo não possui comentários

PEGUE-O NA MENTIRA

Descubra quando um homem está mentindo pra você! Digite seu e-mail abaixo e receba um VÍDEO GRÁTIS te contando todos os segredos.