7 ERROS NA HORA DA CONQUISTA

Descubra nessa vídeo-aula gratuita quais são os 7 erros mais comuns que as mulheres cometem quando querem conquistar um homem.

amigos do namorado

Os amigos dele são má influência? Saiba a verdade!

Um dia, anos atrás, na minha época de cafajeste-mor, fui à confraternização da academia com a namorada da época.

Saímos mais cedo, pois eu tinha outra confra depois. A namorada me levou até lá, porque eu havia bebido.

Ao se despedir, ela se ofereceu para me buscar (na verdade insistiu veementemente, pois conhecia o namorado que tinha e estava com medo que eu fosse a balada com os amigos – por sinal era isso mesmo que eu iria fazer). Recusei e entrei no restaurante.

Lá pelas 21h, ela começou a ligar perguntando quando eu voltaria e se oferecendo novamente para ir me pegar. Recusei, pois era muito longe da casa dela e seria perigoso uma mulher jovem, bonita e num carrão dirigir sozinha à noite. Isso e porque eu também iria pra farra…

Iria acontece um casamento no restaurante e tivemos que sair. Então pegamos uma garrafa de whiskey, compramos gelo e ficamos bebendo no carro, na frente da balada. Antes que falem algo, o motorista da vez não estava bebendo.

Meu telefone tocou. Avisei aos 3 amigos que era ela, todos fizeram silêncio total no carro e o dono do veículo ligou o dvd player em um canal de TV para dar mais veracidade à minha história.

Era ela, perguntando onde eu estava. Falei que já em casa, na cama. Ela pediu para atender o telefone fixo então.

Falei que não iria fazer isso e acordar toda a minha família (morava com eles na época) e que se ela não confiava em mim, não poderia ficar com ela. Afinal, sem confiança, não existe relacionamento, não é verdade? Desliguei bastante irritado.

“Mas que belo filho da puta!” – você deve estar pensando. Bem, não posso discordar.

Depois de 10 minutos ela ligou novamente e, dessa vez, disse:

– Você tem certeza que você está em casa?

Aí sim que fiquei irritado mesmo, pois ela estava duvidando da minha índole. Logo eu, que era tão correto. Desliguei o telefone na cara dela, avisei aos amigos que a barra estava limpa e fomos curtir a festa.

A balada estava uma bosta, então fomos a outra. No entanto, e já tinha bebido bastante desde cedo, tinha batido um peso na consciência, eu não estava a fim de ficar na festa. Passei meia hora no máximo, peguei um taxi e fui pra casa.

Entrei pela garagem, quando vejo um vulto vindo do hall do prédio. Escuto a voz da namorada falando:

– Alexandre, você estava onde?!

O susto foi tão grande que fiquei sóbrio na hora! O efeito do álcool passou completamente e fiquei sem saber o que falar.

Ela saiu do prédio, entrou no carro e saiu sem deixar eu falar. Confesso que fiquei até aliviado, pois não tinha a menor ideia do que dizer.

Subi ao apartamento, liguei duas vezes – mesmo sabendo que ela não iria atender, seria legal ter essa carta na manga no dia seguinte e fui tomar banho.

Mandei uma sms (nem existia whatsapp na época) falando que ela deveria ao menos me escutar e que estava sendo injusta. Eu tinha certeza que ela não retornaria, então iria dormir e no outro dia eu pensaria em alguma desculpa.

Mas não é que o telefone tocou? Era ela e falou apenas: “ok, vou te ouvir. Pode falar.”

“Puta que o pariu, ela ligou. E agora, o que vou falar?” – pensei.

Como todo bom cafa, usei o que chamo de “tempo para pensar”, que é falar algo que vai enrolar a conversa enquanto você pensa. Geralmente é um “você confia em mim?”, “você me ama?”, “vou falar totalmente a verdade, você vai me escutar” ou algo do tipo.

Preferi a última alternativa e disse que estava em casa sim, mas quando ela ligou na segunda vez desconfiando, eu fiquei irritado, pois não tolerava desconfiança e aí fui de raiva.

– Alexandre, eu já estava no seu prédio quando fiz a segunda ligação.

“Porra, hoje realmente não é o meu dia”, pensei. Mas, no desespero falei:

Tá bom, AGORA vou falar a verdade… – e  soltei um papo tão feio que nem lembro direito. Falei que estava na festa e realmente queria ir embora, mas não tinha carona e nem dinheiro pro taxi e acabei indo.

Já esperava que ela desligasse na minha cara, mas era o melhor que tinha para aquela hora. Para a minha surpresa, ela não desligou.

– Eu sabia que não deveria ter te deixado sozinho com aquele teu amigo cafajeste filho da puta. Foi por causa dele que você foi pra balada.

– Na verdade, fui porque eu quis mesmo.

– Não, ele que te influenciou. Ele é má influência!

– Fulana, NÃO. Eu QUIS ir, eu QUIS. Não fiz nada, mas quis me divertir com meus amigos e como você é extremamente ciumenta, foi o jeito.

– NÃO, ALEXANDRE! Ele que é um filho da puta. Se ele não tivesse te convidado para a confraternização da empresa dele, nada disso teria acontecido.

Bem, eu que não iria argumentar mais, já que ela mesma estava com uma desculpa para me livrar, então apenas soltei um

– Isso é verdade…

E tudo ficou bem! Claro que ela me “proibiu” de me encontrar com ele (o que, obviamente não ocorreu), mas ficou de boa. No outro dia saímos normalmente e ela só o xingou.

O meu amigo era sim da putaria, mas eu também! Ele era um cafajeste, mas eu também! Ele era um fdp, mas era o maior porque eu era o namorado dela. EU fui o fdp, não o amigo…

Ela poderia ter acabado o namoro, e com razão. Mas não. Ela nem sequer me desculpou, pois jogou a culpa em outra pessoa. Eu apenas fui influenciado pelo amigo malvado… Depois disso, sabia que ela aceitaria tudo que eu fizesse e nunca mais tive medo de perde-la.

Não sou de compartilhar histórias pessoais, ainda mais dessa época que não me orgulho, mas quis contar essa para ilustrar algo que muitas mulheres fazem e, com sorte, evitar que você passe pelo que essa namorada passou.

Uma garota que namorada um cafajeste geralmente sabe disso, mas não quer admitir. Se ela admitir isso, ela vai acabar sendo a otária, certo? Afinal, quem vai ficar com um cafa sabendo que ele é?

Então o que ela faz?

confused woman

Joga a culpa para as más influências dos amigos. Não é ele que é um merda, claro que não.  São os amigos filhos da puta, cafajestes, que ficam soltando coisas na cabeça dele e acabam influenciando o coitadinho.

E eu quero te contar uma coisa: nós podemos ser estimulados por amigos, mas nunca influenciados. Um cara que vai à balada, farra, puteiro ou qualquer outro lugar com os amigos foi porque quis, não porque foi influenciado.

Não são só os amigos que não prestam, ele também não é diferente!

Uma pessoa geralmente é amigo de quem tem coisas em comum, quem é parecido. Não sempre, mas se um cara só tem amigo cafajeste, ele provavelmente é um….

Para finalizar vou relembrar aqui o ponto principal: homem nenhum faz algo por conta dos amigos que são má influência. Se ele fez algo, provavelmente a má influência é ele.

Leia também:

Descubra se os amigos dele são má influência

O que achou do artigo?

comentários

Deixe seu comentário

    Oi Maria,
    Bem, comentei aqui só pra ajudar outras pessoas a não caírem. Também não foi nada de extraordinariamente ruim, apenas fui a uma balada por 1 hora e eu tinha 20 anos. Homens fazem mil vezes pior, inclusive mais velhos, casados e tudo mais…. e pretendo comentar tudo aqui 🙂
    Se achou isso ruim, nem imagina o que vai achar do resto 😛

    Que bom que gostou, Pitty 🙂

    Aí sim, Gabi! A culpa nunca é dos amigos 😀

    Obrigado 🙂

    Sim, eu postei aqui só pra ajudar outas pessoas a não caírem em coisas assim 🙂

    Bem, comentei aqui só pra ajudar outras pessoas a não caírem. Também não foi nada de extraordinariamente ruim, apenas fui a uma balada por 1 hora.. Homens fazem mil vezes pior e pretendo comentar tudo aqui 🙂

    Bom dia Lindo!

    Acredito em sua história, por ser jovem bonito como é, não tinha maturidade suficiente p que fosse namoro e sim curtição, com várias possibilidades por aí a fora, sei que não justifica ser cafa também nada ver com os amigos, sofreria calada porém cairia fora p não vir sofrer depois. Bjs seu Lindo.

    Caro Alexandre,
    Realmente seu comportamento foi de um verdadeiro cafajeste, para dizer pouco. Penso, que este tipo de comportamento é de verdadeira imaturidade emocional, acho que homens que agem desta forma necessitam fazer uma reflexão comportamental, nada justifica fazer o outro sofrer, mesmo que o outro não consiga enxergar a cafajestada. A forma com que vc descreve me deixou muito fula. Se fosse eu, poderia fazer uma vez, mas na segunda com certeza daria um chute no traseiro.

    Bastante instrutivo….

    Amei! a mais pura verdade! Muitas pessoas se fazem de cega. Eu já fui assim, de colocar culpa nos amigos do meu namorado, quando na verdade o fdp era ele. Mas hoje as coisas mudaram rsrs. abraços ^^

    Realmente sempre achei que as pessoas fazem oque elas querem não oque os outros falam … Gostei do artigo !!!

alexandrechollet

Consultor de relacionamentos. Fala a realidade "na lata", sem mimimi ou enrolação. Conta a mais pura e simples verdade, doa a quem doer.

7 ERROS NA HORA DA CONQUISTA

Descubra nessa vídeo-aula gratuita quais são os 7 erros mais comuns que as mulheres cometem quando querem conquistar um homem.