Receba DICAS EXCLUSIVAS por e-mail

Digite seu e-mail acima e receba na hora dicas para entender mais sobre os homens

Os principais mitos do casamento

Quando falo em conjugalidade, estou me referindo a essa união entre duas pessoas por meio do casamento. O casamento, sofreu diversas transformações ao longo da história, para ser tal qual conhecemos hoje. Portanto, o casamento, que hoje é uma consequência do amor romântico (nem sempre as pessoas casam por amor, esse é um conceito historicamente novo) trás consigo alguns mitos, que podem ser prejudiciais ao casal e ao relacionamento em si. É sobre esses mitos que pretendo refletir com esse texto.

Os mitos que me refiro aqui, para que fique claro, são na verdade crenças disfuncionais que as pessoas têm, de acordo com a forma como aprenderam a perceber o mundo, levando em consideração a sua história de vida. Portanto, não pretendo questionar se o mito é verdadeiro ou falso (sendo que seria uma reflexão infundada). Vamos pensar aqui que a crença, ou o mito, é verdadeiro para a pessoa que o tem. Nossa reflexão circundará portanto, aos maléficos que essas crenças podem trazer para a relação.

Caso você perceba que acredita de certa forma em um dos mitos que irei comentar, percebendo também que o mesmo trás consequências negativas para a relação, proponho que você busque maiores conhecimentos sobre o mesmo a fim de poder entende-lo e até mesmo desmitificá-lo para que seja possível ter uma relação mais saudável. Dito isso, vamos aos principais mitos do relacionamento.

1) O casamento melhora um relacionamento ruim

Escolhi iniciar por essa crença, porque na verdade ela não é uma crença no casamento em si, mas pode ser percebida nos namoros ou noivados. Algumas pessoas acreditam com certa veemência que o casamento é a forma de melhorar um relacionamento ruim, seja esse relacionamento um namoro ou um noivado.

Essa crença é comumente compartilhada por mulheres, que acreditam que no casamento os problemas atuais irão ser resolvidos ou até mesmo que o parceiro irá melhorar pois será marido. Isso, na verdade, pode trazer grandes problemas para o futuro da relação, que além de não resolver um problema atual, está levando o mesmo para o futuro, existindo grandes possibilidades de esse problema ficar ainda maior, em conjunto com outros problemas que são normativos em um casamento.

2) O homem é quem deve cuidar financeiramente da mulher

Esse mito pode parecer um pouco arcaico, mas a quantidade de pessoas que ainda corrobora e até mesmo acredita nesse mito é muito grande, sendo necessário refletirmos sobre ele. Atualmente, o número de casais em que os dois integrantes praticam alguma atividade financeira é muito grande, principalmente na realidade do nosso pais e em nossa situação econômica. Mas isso não significa que o mito de que é o homem que deve cuidar das finanças da casa esteja extinto.

Na verdade, muitos em muitos casais, o homem ainda precisa pagar pelas contas, ou pelo menos pelas maiores despesas da casa, enquanto algumas mulheres podem usufruir de seus salários sem contribuir com as despesas que também são delas. Isso, além de dar validade à premissa e à crença de que o homem é quem precisa cuidar das finanças da casa, deixa uma responsabilidade muito grande para ele de dar conta de tudo, e ainda ter dinheiro para seus afazeres pessoais.

O casamento saudável constitui-se da distribuição de responsabilidades, de acordo com a capacidade de cada um, onde cada um, levando em consideração suas limitações, deverá contribuir igualmente para manter o equilíbrio entre o casal. Atribuir ou assumir demasiada responsabilidade prejudicará tanto a saúde individual de um ou de ambos os integrantes do relacionamento, como também prejudica a relação. Escrevi sobre as responsabilidade na relação nesse artigo focando mais esse tema.

3) A mulher deve cuidar dos afazeres domésticos

Essa crença, que dependendo de sua intensidade pode ser classificada como sexismo, também pode fazer com que o homem fique isento de realizar algumas atividades domésticas, atribuindo essa responsabilidade apenas para sua esposa. Como vimos anteriormente, muitas mulheres também tem suas próprias profissões e fonte de renda, assim como os homens. Dessa forma, a responsabilidade para trabalhar e ao mesmo tempo ter que cuidar dos afazeres domésticos, limpando a sua parte como também a parte dele, poderá gerar uma sobrecarga de responsabilidades, prejudicando o relacionamento.

Geralmente essa crença pertence mais aos homens do que as mulheres, mas em alguns casos elas acabam aceitando essa imposição por também acreditar nisso. A atribuição de responsabilidades no relacionamento também está relacionada com os afazeres domésticos, que podem (e devem) ser dividido entre os membros da família, incluindo esposo, esposa e filhos.

Grande parte dos problemas conjugais estão relacionados com a dificuldade de comunicação e também à assuntos mais simples, como a aquisição de responsabilidade e falta de divisão das tarefas.

4) Um filho irá melhorar a relação

 Essa é uma crença muito comum e também muito perigosa. Alguns casamentos passam por momentos de crise e esses momentos servem para melhorar a relação e fazer com que os integrantes desenvolvam-se como pessoa. Por outro lado, algumas crises podem acabar com um casamento, levando-o ao divórcio.

Independente de como esteja a crise, um filho dificilmente será a solução para a mesma. O provável é que esse filho cresça em um ambiente desestruturado, com brigas e dificuldades provenientes de assuntos não resolvidos no futuro. Por isso, a escolha de ter ou não um filho em determinado momento da relação deve ser feita em conjunto e previamente planejada, não podendo ser uma saída rápida de uma crise. Refletir sobre isso é aprender a lidar com os problemas existente em uma relação.

5) Quem ama sente ciúmes

Outra crença que está relacionada a conjugalidade, podendo trazer consequências negativas, é quando um dos integrantes, ou ambos, acreditam que o ciúme é simplesmente uma demonstração de amor e assim, aceitam muitos comportamentos negativos, tentando justifica-los pelo “amor”.

Essa crença é perigosa pois o sentimento de ciúmes pode fazer com que as pessoas, seja mulher ou homem, executem comportamentos inaceitáveis para qualquer tipo de situação ou relacionamento. Justificar esses comportamentos com o ciúme é uma forma de tentar se isentar da culpa e principalmente fazer com que o parceiro ou parceira aceite o comportamento como normal.

Esse fato explica (claro que não completamente) algumas situações vividas pelas mulheres que aceitam relacionamentos abusivos e controladores. Por outro lado, essa crença também é perigosa pois tira a liberdade no relacionamento e principalmente faz com que os integrantes da relação percam a sua privacidade, que mesmo em um casamento deve existir. Por mais que estejam juntos, é interessante também cada um ter sua vida particular, com seus afazeres e responsabilidades fora da relação.

6) Quem ama não esconde nada

Essa crença nos leva a refletir acerca dos segredos nas relações e em como podemos lidar com isso. Escrevi sobre esse assunto nesse artigo.

Algumas pessoas acreditam que tudo deve ser comentado dentro da relação, caso contrário ela nunca irá funcionar. Mas nem sempre isso é verdade. As vezes o outro não está pronto para lidar com segredos nossos, mesmo aqueles segredos existentes antes mesmo de a relação iniciar. É interessante lembrar que você escolheu esse relacionamento e teve uma vida antes do mesmo. O parceiro apareceu para acrescentar algo em sua vida e, não para modificar o seu passado (que não pode ser alterado, podemos apenas modificar a forma como percebemos ele).

Dessa forma, alguns segredos podem sim existir, dependendo do quanto eles estão incomodando ou atrapalhando a sua vida. É interessante sempre levar em conta o que ele significa para você e para o seu parceiro contar esse segredo e quais as consequências ele irá te trazer, e por outro lado, é importante saber como você se sentira ao contar esse segredo. Ele irá realmente te trazer um alívio ou apenas irá piorar a situação?. Essa é uma reflexão que cada um deve fazer, levando em conta sua crença.

É claro que não podemos esquecer que se essa crença não trás consequência negativa à relação, não existe motivos para modifica-la.

7) É preciso fazer de tudo pela pessoa amada

Outra crença que pode ser muito conveniente e perigosa. Algumas pessoas querem realmente acreditar que precisam fazer de tudo por quem amam ou pior, quem as ama precisa fazer de tudo para provar isso. Esse tudo, geralmente não são coisas positivas.

Essa crença pode ser usada para manipular o outro ou deixar-se manipular em uma relação abusiva. Tanto quem acredita quanto quem faz com que o outro acredite nisso pode sofrer. A manipulação no relacionamento é algo relativamente comum, que infelizmente poucas pessoas percebem. Essa é uma daquelas crenças (ou mitos) que dificilmente não trás consequência negativa para a relação. Dessa forma, deve ser trabalhada e refletida para que possa ser modificada.

Tenha sempre em mente que se o seu parceiro costuma utilizar dessa frase, talvez seja hora de vocês refletirem sobre o relacionamento de vocês.

O que achou do artigo?

comentários

Cérebro Masculino

O Cérebro Masculino é um blog feito para ajudar as mulheres a entenderem como funciona a cabeça dos homens.

Receba DICAS EXCLUSIVAS por e-mail

Digite seu e-mail acima e receba na hora dicas para entender mais sobre os homens

Deixe seu comentário

Este artigo não possui comentários

PEGUE-O NA MENTIRA

Descubra quando um homem está mentindo pra você! Digite seu e-mail abaixo e receba um VÍDEO GRÁTIS te contando todos os segredos.