A instabilidade de um relacionamento.

Olá,
Há um ano e meio comecei um relacionamento com um colega de trabalho 10 anos mais novo do que eu. Na época estava me separando. Com duas semanas de namoro o chamei para morarmos juntos e ele aceitou. É uma empresa aonde um dos donos é de outro país(portugueses) e um dos donos é primo do meu marido. Ele desde o inicio desaprovou o relacionamento e disse que era para eu ir levando uns seis meses e que o meu marido não me daria a estabilidade que eu precisava. Dois meses depois estava grávida e o meu chefe fechou a cara mais ainda. O meu marido é autoritário e quer que a gente trabalhe, cuide de casa e ajude com tudo. Ele só trabalha. Mas é uma boa companhia quando não esta nervoso. Ficamos bem todo o período da gravidez.

Algumas pequenas discussões, mas tudo estava tranqüilo. Ao menos eu pensava. Duas semanas depois que eu dei a luz ele saiu de casa de manhã, me deu um beijo foi ao escritório, ficou duas horas com meu chefe a portas fechadas. Veio em casa. Terminou comigo e voltou novamente para falar com meu chefe. Eu não podia andar direito porque tive uma cesariana e não tenho família na cidade . Foi HORRIVEL. Pensei em me matar e cai na besteira de comentar com a tia dele. (também prima do meu chefe). Eles ligaram para a polícia e chamaram também o serviço social para mim, alegando que a minha filha estava sob perigo. O serviço social veio e não viu nada demais. Seis dias depois meu marido voltou a casa.

Começamos a vida de novo, mas o nosso chefe não poderia saber que voltamos. Ele já tinha avisado ao meu marido que se ele voltasse comigo ele seria demitido. Até agora estou de licença maternidade, mas sei que quando eu voltar serei mandada embora. No fim de janeiro o meu chefe fez a vida do meu marido tão insustentável, porque já sabia que estávamos juntos, que ele pediu conta. Ele entrou em depressão. Logo começou a trabalhar mais também saiu do trabalho em menos de duas semanas. Sem alegação aparente. Arrumou outro trabalho. Com uma semana que estava neste trabalho a mãe dele veio sem avisar para vê e não quis ficar na nossa casa. Achei estranho. Ela trouxe vários presentes para todos aqui em casa. Era um sábado.

No domingo eles passaram o dia todo juntos e ele não quis que eu fosse. A noite me chamou para se juntar a eles na casa de uma tia, mas já não quis ir. Tava magoada. Na segunda ele foi trabalhar e me ligou dizendo que era para ligar para a sua mãe senão ele iria largar o trabalho. Quando chegou em casa aquele dia já estava diferente. Perguntou a mãe porque ela não ficava em casa e ela disse que da próxima vez ficaria. Ele respondeu que da próxima vez ele já não estaria na casa.

mda banner 2

Fiquei sem entender. Não perguntei. No outro dia ele disse que queria terminar que não éramos compatíveis e que nunca me amou. A gente já tinha dado entrada na documentação para casar por procuração no Brasil e na semana que tudo aconteceu nos casamos. Ele nem sabe. Saiu de casa disseque voltaria e não voltou. Sua mãe me ligou no dia seguinte perguntando cadê o filho e que se ele não aparecesse ela iria a policia e disse que era para eu sair da casa do filho dela imediatamente. O que eu sei e que ele esta nos país dele na casa dela. Pegou dinheiro emprestado com meu chefe para me dar provavelmente pela parte que me cabe na casa.

Um destes dias ele disse que tinha muitos assuntos mal resolvidos, mas não especificou o que era e que teria que ir resolver. Eu pedi para que esperasse ate junho, mas pelo jeito ele foi de qualquer forma. Já faz uma semana que ele se foi não ligou somente mandou umas mensagens me xingado e me pedindo para sair de casa. Minha sogra disse que é para eu entregar a minha filha a uma de suas irmãs ou a assistência social. Eu lógico disse que não.

Eles estão a vigiar a minha casa (as tias) e estou recebendo muitos trotes no meu telefone. Como estamos em um pais de língua inglesa e meu marido não escreve bem em inglês não é ele que esta mandando as mensagens.Mas pode ter ciência do acontecido.As mensagens que estou a receber do celular dele não parece ele que esta a mandar.Acho eu.

Entrei em contato com uma pessoa em seu país que perguntou a ele quem ficou com o seu celular e ele disse que como saiu da casa da tia para vir com pressa, não sabia quem ficou. A sogra tirou o telefone do gancho e ate hoje não falei com meu marido. O que eu faço? Tem um bebê envolvido nisto de 05 meses e estou a sofrer porque sou brasileira, mais velha que ele, e já tive um filho. Ajudem-me a entender.
Obrigada

A sua situação demonstra ser delicada, mas é possível cuidar disso tudo quando procuramos observar as coisas um pouco mais separadas. Pelo seu relato é claro que o que você ler aqui, você não deve tomar como verdades mas como pontos de partidas para uma reflexão maior.

Entendo que o que você esta passando é difícil, instável e desestruturante. E é essa palavra que uso para ilustrar o que considero sobre o seu relato. Demonstra que a relação sua com seu marido não parece ser uma relação de casal. Uma relação onde haja cumplicidade, estabilidade, cooperativismo, companheirismo que é onde justamente as pessoas se apóiam a fim de ultrapassar as dificuldades. Nesse sentido você chegará possivelmente a soluções para o que passa, quando entender o que é a sua relação hoje com o seu parceiro, ou seja, vocês estão juntos ou não afinal de contas, como são como casal e é isso o que você realmente quer?

Se ele adota uma postura mais omissa ou está sofrendo por algo e não tem estrutura para continuar um relacionamento, cabe a vocês dois sentarem e decidirem o que acontecerá. E se até isso é algo difícil, alguém tem que colocar um ponto final nessa história, pois está causando sofrimento e isso é entre você e ele, ou seja, sem parente algum por perto.

Enquanto isso, espere um pouco para ver se ele se comunida com você. Mesmo estando fora, você não teria nenhum amigo ou amiga com quem pudesse contar? Se tiver, ligue e procure alguém para lhe dar apoio nesse momento, ou então procure justamente algum serviço de órgão público, seja atendimento psicológico ou mesmo um apoio legal para você saber o que fazer. Digo isso também por conta do emprego, eles não podem lhe mandar embora por conta do que aconteceu. Por isso, proteja-se, porque uma vez que tem um filho, ele precisa de você, mas precisa de você inteira, organizada e bem.

É preciso se cuidar e isso com certeza exigirá e exige muito de você. Se ele não quer mais nada realmente, já pense nisso como um momento onde você precisará de estrutura e para isso cabe buscar uma rede de elementos que te auxiliem, seja a psicoterapia, respaldo legal ou organização financeira, mas concentre-se a fim de que sua melhora seja rápida porque isso proporcionará uma flexibilidade maior no seu dia a dia para buscar coisas boas.

Até mais!
Márcio Oliveira
[email protected]

AJUDE A MANTER O CÉREBRO MASCULINO NO AR. VISITE OS SITES PARCEIROS!
Siga o Cérebro Masculino no twitter:
http://twitter.com/CerebroMasc
e saiba instantaneamente quando o blog é
atualizado.
Envie você também sua história em www.cerebromasculino.com/contato que
terei o maior prazer em ajudá-la.

Psicólogo, consultor de relacionamentos e quase Mestre pela USP-SP. Meio NERD, completo romântico, mas não abre mão de um intenso beijo na boca e um alinhamento entre coração, corpo e mente.

1 comentários No A instabilidade de um relacionamento.

  • Nossa! Que história chocante!
    Márcio, gosto das suas palavras, mas a realidade é mais cruel pelo relato da colega, sendo assim, o melhor é ela dá um jeito de voltar pra seu país, procurar sua família e esquecer esse cara de vez juntamente com a família dele. Ela tem um motivo enorme pra lutar que é o bebê e ficar esperando um cara que nem se importou com o filho se comunicar? Dê me paciência!Minha cara, estarei rezando por você e sua criança, para que Deus ilumine seu caminho e te dê forças pra lutar sem olhar pra trás.
    Um grandioso abraço.
    Mandy

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.