Amor em Prosa e Verso

Minhas Caras e Queridas Leitoras,

Creio que voces tenham a noção do que é pesquisar em nome de um único objetivo, agradar a todas as que lêem esta seção.

É difícil, ainda que me dê muito prazer, principalmente quando recebo algum comentário, seja qual for, sei que voces querem sempre me ajudar a melhorar.

Esta semana, selecionei alguns textos, prosa e versos, para o seu deleite.

mda banner 2

Repito que não obrigatoriamente estes sejam meus pontos de vista, alguns me agradam muito, outros nem tanto e já com outros, nem concordo, mas não escrevo, nem pesquiso para mim, mas para voces.

Vejam que caprichei nos autores dos versos da semana: Camões, Shakespeare e outros.

Aproveitem.

Um abraço e um beijo

Alex Paranhos

Amor Próprio
Primeiro, a gente tem que se amar, para depois amarmos alguém.  Quem não gosta de si próprio, não exercita o seu marketing pessoal.  Perde o brilho.  Caminha pela vida despercebido.

Ninguém é perfeito.  Quando nós nos aceitamos, começa a surgir o exercício da auto-estima.  A principal responsável pela nossa imagem pessoal.  O elemento essencial que nos faz refletir diante da vida.  Que nos faz prestar atenção em nós mesmos.  Aquela que impulsiona a nos cuidarmos.  A estabelecermos limites…
Existem pessoas que mal conseguem se encarar diante do espelho.  Deveriam olhá-lo como um aliado e não como um inimigo.  Quais são seus pontos fortes?  Quais devem ser valorizados?  O cabelo, os dentes, a cor dos olhos, as sobrancelhas, o sorriso, o corpo bem definido, a altura?  E quais deveriam ser disfarçados?  Os quilinhos a mais, uma ruga de expressão, a barriginha, a falta de cintura, ou as pernas tortas?
Vivemos em uma época em que nos tornamos privilegiados com a quantidade de recursos oferecidos para a beleza.  Tratamentos, produtos, cirurgia plástica, ginásticas, receitas caseiras, alimentação e muito mais.  Uma variedade de opções que nos auxilia na conquista de uma imagem ideal (para nós, é claro!).
Concordo com alguém que me disse, a seguinte frase: “Com a variedade de opções para beleza que temos hoje em dia, não existem pessoas feias, apenas mal cuidadas, ou mal orientadas”.

Talvez não estejam exercitando a sua auto-estima devidamente, e inibindo os efeitos maravilhosos que ela pode produzir.

Fonte: Mônica Comenale


Amor não é se envolver com a pessoa perfeita,
aquela dos nossos sonhos.
Não existem príncipes, nem princesas.
Encare a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando suas qualidades, mas sabendo, também, de seus defeitos.

O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.

Autor desconhecido

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer, mais que bem querer;
É um andar solitário, entre a gente;
É nunca contentar-se, de contente;
É um cuidar que se ganha, em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;
Se tão contrário a si é o mesmo amor?

Luís de Camões

SONETO CV
Não chame o meu amor de Idolatria
Nem de ídolo realce a quem eu amo,
Pois todo o meu cantar a um só se alia,
E de uma só maneira eu o proclamo.
É hoje e sempre o meu amor galante,
Inalterável, em grande excelência;
Por isso a minha rima é tão constante
A uma só coisa e exclui a diferença.
‘Beleza, Bem, Verdade’, eis o que exprimo;
‘Beleza, Bem, Verdade’, todo o acento;
E em tal mudança está tudo o que primo,
Em um, três temas, de amplo movimento.
‘Beleza, Bem, Verdade’ sós, outrora;
Num mesmo ser vivem juntos agora.

William Shakespeare

Os Três Mal-Amados

O amor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato.  O amor comeu minha certidão de idade, minha genealogia, meu endereço.  O amor comeu meus cartões de visita.  O amor veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome.

O amor comeu minhas roupas, meus lenços, minhas camisas.  O amor comeu metros e metros de gravatas.  O amor comeu a medida de meus ternos, o número de meus sapatos, o tamanho de meus chapéus.  O amor comeu minha altura, meu peso, a cor de meus olhos e de meus cabelos.

O amor comeu meus remédios, minhas receitas médicas, minhas dietas.  Comeu minhas aspirinas, minhas ondas-curtas, meus raios-X.  Comeu meus testes mentais, meus exames de urina.

O amor comeu na estante todos os meus livros de poesia.  Comeu em meus livros de prosa as citações em verso.  Comeu no dicionário as palavras que poderiam se juntar em versos.

Faminto, o amor devorou os utensílios de meu uso: pente, navalha, escovas, tesouras de unhas, canivete.  Faminto ainda, o amor devorou o uso de meus utensílios: meus banhos frios, a ópera cantada no banheiro, o aquecedor de água de fogo morto, mas que parecia uma usina.

O amor comeu as frutas postas sobre a mesa.  Bebeu a água dos copos e das quartinhas.  Comeu o pão de propósito escondido.  Bebeu as lágrimas dos olhos que, ninguém o sabia, estavam cheios de água.

O amor voltou para comer os papéis onde irrefletidamente eu tornara a escrever meu nome.

O amor roeu minha infância, de dedos sujos de tinta, cabelo caindo nos olhos, botinas nunca engraxadas.  O amor roeu o menino esquivo, sempre nos cantos, e que riscava os livros, mordia o lápis, andava na rua chutando pedras.  Roeu as conversas, junto à bomba de gasolina do largo, com os primos que tudo sabiam sobre passarinhos, sobre uma mulher, sobre marcas de automóvel.

O amor comeu meu Estado e minha cidade.  Drenou a água morta dos mangues, aboliu a maré.  Comeu os mangues crespos e de folhas duras, comeu o verde ácido das plantas de cana cobrindo os morros regulares, cortados pelas barreiras vermelhas, pelo trenzinho preto, pelas chaminés.  Comeu o cheiro de cana cortada e o cheiro de maresia.  Comeu até essas coisas de que eu desesperava por não saber falar delas em verso.

O amor comeu até os dias ainda não anunciados nas folhinhas.  Comeu os minutos de adiantamento de meu relógio, os anos que as linhas de minha mão asseguravam.  Comeu o futuro grande atleta, o futuro grande poeta.  Comeu as futuras viagens em volta da terra, as futuras estantes em volta da sala.

O amor comeu minha paz e minha guerra.  Meu dia e minha noite.  Meu inverno e meu verão.  Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte.

João Cabral de Melo Neto

POEMINHA SENTIMENTAL

O meu amor, o meu amor, Maria
É como um fio telegráfico da estrada
Aonde vêm pousar as andorinhas. . .
De vez em quando chega uma
E canta
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
Canta e vai-se embora
Outra, nem isso,
Mal chega, vai-se embora.
A última que passou
Limitou-se a fazer cocô
No meu pobre fio de vida!
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
As andorinhas é que mudam.

Mario Quintana

NÃO DEIXE O AMOR PASSAR

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.

Por isso, preste atenção nos sinais – não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR.

Carlos Drummond de Andrade

Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade. . .
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração.

William Shakespeare

O que achou do artigo?

comentários

Carioca, 62 anos, corpinho de 60 e cabeça de 50. Feliz e disposto a descobrir novas felicidades em cada momento da vida. Há algum tempo, com minha experiência e vivência, resolvi me dedicar a observar as coisas, pessoas e acontecimentos, ao meu redor, utilizando este conhecimento para melhorar minha qualidade de vida, junto às mulheres, amigos, parentes, colegas de trabalho e às vezes até com pessoas que pouco conheço, usando apenas informações. E acreditem se quiserem, não é que começou a dar certo. Acertava quase sempre, quando emitia uma opinião. No meu casamento então, funcionou que foi uma beleza. Aprendi a ouvir minha mulher em assuntos que antes considerava como exclusivamente meus. Não que não erre ou não me machuque. Sou normal, tenho qualidades e defeitos, mas consegui ter um índice grande de acertos, conseguindo assim evitar cenas em que a DR (discussão de relacionamento) iria para o buraco, senão definitivamente, pelo menos temporariamente. Minha mulher aprendeu a não só respeitar o que digo, como a observar como eu, tudo o que se encontra a sua volta. Casado há dois anos, depois de seduzido e sequestrado por uma baiana. Um metro e meio de pura sedução e gostosura. Vou repetir, estou feliz. Muito feliz. Três casamentos, quatro filhas e um casal de enteados dão-me a vivência necessária e suficiente para me associar ao Doutor Neurônio e participar deste blog. Afinal, graças às nove mulheres de minha vida (quatro mulheres - esposas -, quatro filhas e uma enteada), sem contar minha mãe e irmãs, posso garantir que ninguém conhece mais bolsas e sapatos que eu. Sei exatamente quase tudo o que elas querem, seus desejos de consumo, seus sonhos e até mesmo o tipo de surpresa causada por cada presente. Se chegarmos à parte de roupas íntimas, desde que conheci algumas marcas famosas (só dou as marcas se patrocinarem o blog), acho que sou quase imbatível. Maduro e consciente das necessidades delas vejo hoje a felicidade de minha mulher, quando saio com ela para as compras, seja para comprar uma maquilagem ou um biquini. Defendo a teoria que não vou deixar de olhar uma mulher bonita, mas que prefiro a honra de estar ao lado de uma igual ou melhor. Sei, também, que poder dar presentes é uma situação a que nem todos os homens estão dispostos ou disponíveis, indo desde a falta de dinheiro, fácil de entender, até a falta de interesse, que não é e nunca será aceita por ninguém, muito menos pela pessoa com quem ele se relaciona. O que custa levar uma bijuteria de R$ 2,00, para quem você ama? Sabe o que ela vai pensar? Que você não parou de pensar nela, e isto é bom para vocês dois. Com base no livro do terapeuta americano, John Gray, “Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus”, estou escrevendo “Eu Falo Venusiano”, onde procuro mostrar aos homens que depende deles, ou melhor, de nós, dar a quem amamos o máximo de felicidade que pudermos. As críticas ao comportamento masculino em alguns trechos são profundas e simples, como a lembrança da gentileza ao abrir a porta de um carro. Não importa se o controle remoto de seu carro é o mais moderno do mundo, quem deve abrir a porta do carro para ela entra, é você. Outro assunto abordado é por que mentir para conquistar alguém e quando consegue seu objetivo, mostrar que tudo não passou de uma mentira... Por quê? Se você lembrar que suas mentiras o levaram a atingir seu objetivo, nada como investir em fazer crescer o relacionamento que você fez de tudo para começar. Se entregar ou não no primeiro encontro levantou a maior polêmica entre as pessoas consultadas e entrevistadas. Este item me tomou muito tempo, pois foram quase 1.500 depoimentos. Uma população que me dava a base necessária para apoiar minhas teorias sobre o assunto. Quer saber? Compre e leia o livro. Em breve nas livrarias. Alex Paranhos

5 comentários No Amor em Prosa e Verso

  • É esta expressão de sentimentos, favorável ou não, que nos mostra o melhor caminho a seguir. Seus comentários e sua constância são de grande valia para todos no CM , principalmente, para mim, Andressa.
    Muito obrigado. Conto com voce para nosso crescimento e divulgação.
    Encaminhe para as amigas, discuta com elas, nos apresente a elas, mande um link e um comentário sobre nós.
    Queremos ser amigos de suas amigas também.
    Traga-as para nos conhecer.
    Obrigado pelos elogios,
    Alex

  • Ah eu sei que vocês sabem que tem muitissimas pessoas lendo mas nada como realmente ver as pessoas se mobilizando e se expressando, mas não se preocupem não que é só questão de tempo… Não sei por que, mas as pessoas tem vergonha de se expor, de opinar… Acho que muitas devem pensar que são comentários dispensáveis, que não faz falta nenhuma, mas logo mudarão de idéia. Vocês fazem um graaaande trabalho, não tem UM post sequer que não seja ma-ra-vi-lho-soooo!

    Não nos deixem, hein?? rs

    Um abraço!

  • Excelente escolha de textos, Alex.
    Gostei muito de todos, principalmente dos dois últimos.

  • Muito obrigado.
    Comentários como o seu fazem de nós, a equipe do CM, as pessoas mais gratificadas ao atingirmos nossos objetivos.
    Fazemos de tudo para sermos os homens diferentes da vida de voces.
    Pesquisamos, criamos, respondemos, mas não perdermos nosso rumo, que é não emitir opiniões pessoais, mas procurar dar alento a cada uma de voces, e ajudar na ansiedade do momento em que escrevem pedindo ajuda.
    Estamos aqui para isso.
    Por favor, encaminhe, divulgue.
    Dependemos, exclusivamente, de voces.
    Nossa recompensa é receber comentários como o seu.
    Mais uma vez, muito obrigado,
    Alex

  • Eu sinceramente não sei QUAL eu gostei mais!
    “Amor próprio” é uma das verdades absolutas da vida, eu graças a Deus essa parte já aprendi. Me valorizo mais e realço o que tenho de melhor da melhor maneira possível, para que ninguém acabe reparando no que não é tão bonito e acho que às vezes tenho sucesso. rsrs

    “Os três mal amados” que texto L I N D O, fazia tempo que eu não lia algo tão perfeito! Voua té encaminhar à uma amiga que adora tb…

    “Não deixe o amor passar”… Que delíciiiia se apaixonar assim, de verdade… Sinto saudade disso 🙁 Mas a minha hora vai chegar, eu espero!! rs

    E Shakespeare… Simplesmente divino! Nadaaaa somos sem um grande amor e uma grande amizade!

    Post perfeitoooo como sempre, Alex!! Parabéeeeens!

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.