Antes e depois

“Me chamo S. , tenho 24 anos e meu esposo tem 33 anos, estamos casados fazem 1 ano e 3 meses, eu trabalho com administração e ele é dono de um aviário. Quando nos conhecemos ambas as profissões já eram essas. O que acontece, é que no começo de nosso casamento tudo foi ótimo, mas com o tempo as coisas foram mudando. Ele se tornou uma pessoa ignorante, rancorosa, difícil de lidar. Nada do que eu faço para ele ou para nós ele ache correto, sempre reclama de tudo, na verdade tudo que ele faz é correto, e gosta de ouvir somente aquilo que soa bem para seus ouvidos. Eu não sou perfeita, como qualquer ser humano, tenho muitos erros, mas eu sei reconhece-los, sou muito humilde nesse ponto. E ele já não, se agente diz uma coisa hoje, ele já vira a cara, emburra, nunca quer sentar e conversar, sempre prefere ficar sem falar comigo. Ele é do tipo que não é capaz de chegar e falar Suelen, não gostei do que você fez, podemos conversar? Para ele o mais prático é julgar, sem querer que os outros o julguem. O que de fato mais me entristece e que vem acontecendo, é que ele pegou um costume feio, de todas as vezes que brigamos, e olha para mim e diz, eu não gosto de você, não quero mais ficar com você, não sei porque você ainda esta aqui. Mas o fato é que de tanto eu insistir, ficamos numa boa, vivemos bem, ele jamais relata isso novamente, e isto tem acontecido sempre. E o pior, é que eu sou muito sentimental, sempre choro e me desespero, é onde mais me ignora.

Ontem foi meu aniversário, sempre gostei de ganhar presentes, não que isso seja o mais importante, mas não é pecado gostarmos desse agrado. Mas eu tinha a certeza que ele me mandaria uma cesta de café da manhã como sempre, e eu confesso, aquilo incomoda meu ego. Já pela manhã, fui dar um abraço antes de ir trabalha, e ele na brincadeira me ignorou, me magoou. Na hora do almoço levei a comida dele, e quando fui me despedir e beijá-lo, ele me ignorou de novo. A noite recebi visitas, ele comprou salgados e refrigerantes e eu não sabia. Fiquei feliz, mais depois que todos foram embora, e fomos ter nosso momento, me frustrei, nada de beijos, carícias, abraços e nem palavras bonitas, apenas uma transa. Enlouqueci, e disse que a cesta eu esperava, e que tinha ficado feliz pela festa, mas que não suportava mais conviver dessa forma, que eu quero alguém que me ame, cuide de mim, me de carinho e atenção.

E ele então levou pro outro lado, disse, que ele não é milionário para me dar presentes, como meus pais. Tudo errado. O que eu preciso dinheiro nenhum compra, eu quero que ele me ame, e cuide de mim… O que eu faço? Estou errada? Será que ele gosta de mim?

 


mda banner 2

Olá S.

Muita gente acha e reclama que algumas pessoas mudam depois que se casam, eu creio que casamento pode mudar as pessoas e que a convivência mostra como as pessoas são a cada dia. A convivência implica em entrar em contato com a individualidade, a intimidade de alguém, é ser testemunha, mesmo que não seja essa a intenção, das esquisitices, manias, neuras, maus humores e por que não bons humores também? O fato é que estar junto significa compreender que um sujeito vem com toda uma bagagem desses apetrechos pessoais e muitas vezes ficam mascarados antes de um relacionamento sob o mesmo teto ou então as duas pessoas estão tão iludidas que não percebem suas diferenças ao ponto de avaliarem se vale a pena continuar ou não.

Eu vejo o seu pedido de carinho, atenção e amor mais que legítimo e muito mais além do que uma transa, só pelo tom que escreveu até eu senti que foi uma transa e nem foi das melhores (me perdoe o comentário).

Um casamento convoca uma pessoa a um outro lugar, a um lugar de compromisso mais que sério, eu não me preocupo tanto com essas formalidades, vejo o casamento como consequência de um relacionamento bom, belo, sincero e com vontade de estar junto, mas percebo o peso psicológico que isso tem na vida das pessoas, ao ponto de ser motivo de brigas, desavenças e de surpresas pelo fato de muitos começarem a ver quem são as pessoas verdadeiramente após o casamento.

Diante da sua situação S, se o seu marido não pensar em algo ou sentar com você para no mínimo ser um marido de verdade, ele estará se candidatando a ser mais um homem (com h minúsculo) a reclamar das mulheres só que dessa vez com o estado civil separado e se bobear com um peso a mais na cabeça. Mas me parece que esse é o dilema da vida. Tentamos amar não sabemos quem e sem saber como, esperamos ser amados de alguma maneira que não sabemos e que, por mais que se passem os anos, ninguém conseguiu descobrir pela gente e nem vai descobrir também. Mas nesse meio tempo há os encontros, os tesões, as fungadas no pescoço que dão certo, o que não devemos ter é medo de escolher, escolher a nossa liberdade de não sofrer, de lutar porque queremos lutar, sentindo isso dentro da gente.

O triste é pensar em você chegando ao ponto de querer ser amada por ele sendo que na verdade isso deveria ser um curso natural de um relacionamento a dois porque afinal de contas amor não precisa ficar mendigando assim. Se ele não cuidar da sua própria ignorância, rancor e dificuldade de lidar com determinadas situações, sinto informar mas você pode até ficar triste em desmanchar um casamento mas ao mesmo tempo se libertará de algo que lhe está consumindo por dentro  e quando pensar nisso e olhar para ele, lembre-se daquela música que diz: “Adeus também foi feito pra se dizer, bye bye, so long, very well.

Até mais!!

Márcio Oliveira

[email protected]
Meu
Blog: As Palavras

Tem pressa para receber sua resposta? Deseja
atendimento personalizado e ao vivo? Assine um Plano VIP.

Perfil do orkut (recém criado): http://w
ww.orkut.com.br/Main#Profile?uid=6153601257327704676

Siga o Cérebro Masculino no twitter: http://twitter.com/CerebroMasc e
saiba instantaneamente quando o blog é atualizado.

O que achou do artigo?

comentários

Psicólogo, consultor de relacionamentos e quase Mestre pela USP-SP. Meio NERD, completo romântico, mas não abre mão de um intenso beijo na boca e um alinhamento entre coração, corpo e mente.

4 comentários No Antes e depois

  • jaciara carreira

    Marcio que bom ouvi~lo justo hoje.
    Tenho uma amiga muito querida com a estória bem parecida, e hoje justo hoje nós conversavamos sbre isso tudo que ela passou.Eu fui madrinha imagine a situaçao,pensei até dar conselhos para não terminar o relacionamento,mas achei melhor não interferir, e la decidiu pela separação e a semana que vem ela assina o divorcio e mais ela me disse hoje que quando foi buscar a sua coisas ele deixou as fotos do casamento bem a vista,adivinha o que ela fez?Corajosa esaa minha amiga que vai ser muito feliz ainda, pois ela merece
    PODEROSA!!!

  • Olá Suelen…
    Um principio básico, amor não se pede e ponto.
    E quando eu preciso usar o Imperativo…eu quero que ele…..
    É porque ele já está a muito tempo fazendo o que você não quer. Não é mesmo?
    Apesar de achar que a gente anda se separando muito facilmente hoje em dia, acredito que quando o amor, a paixão, o tesão, a amizade já ficaram em um lugar distante no passado, o melhor é rever tudo mesmo.
    Se uma boa conversa não adiantar…Su…manda ver e recomeça garota!
    Vai ser feliz.
    beijuss 😛

  • Se a pessoa com quem você se casou por amor não te trata bem, não te respeita mais a coisa tende a ir por água a baixo.
    Posso estar falando besteira mas essa é a minha opinião, concordo com a Zu quando ela fala que o afeto tem que ser espontaneo, se ele não te dá mais o que te dava antes é porque alguma coisa se perdeu.
    Só não deixei que o pouco que restou entre vocês que penso eu que deva ser o respeito se acabe.
    Bjus

  • Bom dia!!

    Eu acho o “fim da picada” mendigar afeto, isso tem que ser espontâneo e a S. tá fazendo nesse jogo.
    Sai dessa garota, acorda!!! Deus me livre de um homem assim prefiro estar só.

    Um dia iluminado pra vc Márcio.

    Bjsssss

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.