Beijar na Boca é Bom?

Bem, minhas caras leitoras, o tema hoje é Beijo na Boca.  Será que interessa?  Será que alguém não gosta?  Então, àquelas a quem desagradei, meu sincero pedido de desculpas, creio que pelo tamanho do blog hoje, ou seja, pelo volume de leitoras, pode-se dizer que as insatisfeitas vão caber em um fusquinha, hehehe.  Tudo bem…  Não se pode agradar a todo mundo.

Como de costume, ao final, um texto da jornalista gaúcha Martha Medeiros que nos remete a forma de nos relacionarmos com o outro.  Achei muito interessante e tocante.  Espero agradar…  Mais uma vez, meu pedido final, COMENTEM… Obrigado!

Por que gostamos tanto de beijar na boca?

GALILEU

mda banner 2

Porque é bom.  Embora seja de ampla aceitação, essa resposta não satisfaz a curiosidade científica.  Como beijar, com intenção amorosa, não é uma prática comum para todas as culturas, a explicação para esse hábito não deve estar em nossos genes.

Uma hipótese é que a nossa primeira experiência de conforto, segurança e amor vem das sensações bucais associadas ao aleitamento materno.  Somado a isso, nossos ancestrais provavelmente alimentavam seus bebês boca a boca, com alimentos pré-mastigados – o que reforça a conexão entre compartilhamento de saliva e prazer.

O que explicaria porque o beijo é mais usado por algumas culturas estaria na coloração dos lábios.  Nossos ancestrais se sentiam mais atraídos pelas frutas vermelhas, e “furtaram” esse elemento com propósitos sexuais, desenvolvendo uma pronunciada coloração vermelha nas genitálias e nos lábios.  “Em vez de reinventar a roda, nossos ancestrais usaram a mesma paleta”, afirma V.S. Ramachandran, da Universidade da Califórnia à revista NewScientist.  Como os lábios vermelhos se destacam mais em pessoas caucasianas, ele sugere que o hábito de beijar teve início em latitudes mais ao norte.

Quando o assunto é a fisiologia do beijo, pisamos em terreno mais firme. Nossos lábios estão entre as partes mais sensíveis do corpo. São cheios de neurônios ligados aos centros de prazer no cérebro. Há até pesquisadores que cogitam uma ligação entre os beijos e a maneira como investigamos a compatibilidade biológica com um potencial parceiro. Estudos mostram que nos sentimos mais atraídos pelo cheiro do suor de pessoas com o sistema imunológico o mais distante possível do nosso, pois é com elas que iremos produzir bebês saudáveis. E o beijo nos dá uma oportunidade de cheirar isso mais de perto.

Beijo dos Signos

Áries O ariano beija com o corpo todo. Ele pulsa e se entrega, e ao mesmo tempo ele domina. Percorre a boca desejada com fogo e paixão. Não é dado a beijocas superficiais, pois gosta de sentir uma emoção e uma energia intensas nesse momento especial.

– Para agradar um ariano, dê-lhe um beijo demorado e bem romântico.

Touro O taurino tem um beijo guloso, profundo, altamente sensual. Ele aprecia o sabor, o calor, a textura da boca beijada. Não tem pressa e é capaz de ficar longos minutos deliciando-se com o gosto da pessoa amada.

– Quem é de Touro gosta de beijos quentes, sensuais, daqueles que não conhecem limites.

Gêmeos O geminiano gosta de alternar beijos mais profundos e intensos com leves beijocas e brincadeiras com a ponta da língua, percorrendo os contornos da boca, mordiscando-a, saboreando-a. É um beijo meio moleque, gostoso, jovial e cativante.

– Quer fazer um geminiano derreter-se aos seus pés?  Então comece com um beijinho de leve em sua orelha.

Câncer O canceriano coloca a própria alma no ato de beijar. No momento em que seus lábios se unem à boca da pessoa amada, ele traduz o mais puro romantismo e faz dessa carícia uma verdadeira declaração de amor.

– Conquiste um canceriano enchendo de beijos suaves e bem românticos.


Leão Para o leonino, beijar é uma arte. Por isso, ele percorre docemente a boca do parceiro, alternando carícias suaves com outras ardentes. Seu beijo tem gosto de paixão, de desejo, de força e intensidade. Enfim, é um beijo de Fogo, capaz de seduzir e incendiar.

– O leonino faz questão de deixar bastante claro que beija muito bem. Assim, mostre a eles que seus beijos também são ótimos.

Virgem O virginiano é perfeccionista até no beijo. Ele toma o maior cuidado para que a pessoa amada se sinta plenamente envolvida pela carícia de seus lábios suaves e de sua língua ávida de sensações. É um beijo intenso, molhado, delicioso!

– O virginiano pode se assustar se você chegar cobrindo-o de beijos, então vá com calma e faça com que ele confie em você.

Libra O libriano beija no estilo romântico. Com seus lábios doces e ousados, ele conduz a pessoa amada para um lindo cenário, feito de flores, nascentes de água e pôr-do-Sol. Impossível não se entregar à carícia feita por essa boca que sempre parece querer “algo mais”.

– Para fazer um libriano se lembrar pra sempre do seu beijo é preciso usar dois ingredientes fundamentais: ternura e sensualidade.

Escorpião O escorpiano faz do beijo uma extensão do ato sexual. É um beijo erótico, quente, convidativo, que faz pensar nas cenas mais loucas e ardentes. É um beijo-armadilha, um beijo-sedução, um beijo-paixão. Uma experiência inesquecível!

– As pessoas deste signo adoram levar seu amor à loucura com seus beijos. Então, que tal virar o jogo e dar a eles um pouco deste seu doce veneno?

Sagitário O sagitariano não beija apenas com a boca, mas com o corpo todo. Ele percorre o corpo da pessoa amada como se quisesse conhecer todos os seus segredos, ultrapassar fronteiras. Beijo quente e sensual, um tanto selvagem, com cheiro de feno e sabor de aventura.

– Um beijo cheio de paixão fascina quem é de Sagitário. Agora, para que este fascínio vire paixão, acrescente um ingrediente: a natureza como cenário.

Capricórnio O capricorniano beija meticulosamente. Começa devagar, como se quisesse a posse do “território desconhecido”. Depois, vai se aprofundando em busca de intensidade cada vez maior. É um beijo prolongado, que roubam o fôlego e deixa um gosto de “quero mais”.

– O capricorniano vai começar a beijar você de forma discreta. Mas de repente um vulcão pode entrar em erupção. Assim, pegue foto antes dele.

Aquário O aquariano beija como se quisesse desafiar as expectativas da pessoa amada. Alterna beijos carinhosos com pura volúpia e é capaz de transmitir um desejo intenso com o mais simples toque de lábios. Está sempre em busca de sensações novas e não tem medo de ousar.

– O que o aquariano que é saber se está agradando de verdade, com seu beijo tentador. Deixe-o com a certeza que depois do primeiro virão muitos outros carinhos.

Peixes O pisciano tem um beijo devotado à pessoa amada. É um beijo-doação, em que ele procura o máximo de sensações, de prazeres, de sabores e calores. Por isso mesmo, é um beijo delicioso, que nunca se repete, mas se supera a cada nova experiência.

– Para agradar a pessoa deste signo não permita que as palavras atrapalhem este momento mágico. E se quiser conquistar de vez, beije-a suavemente.

Fonte: pt-br.wordpress.com/tag/historia-da-astrologia/

O Beijo

É o ato de tocar os seus lábios nos lábios de outra pessoa.  Antigamente o beijo era utilizado de várias formas e com infinitos significados. Na Idade Média o beijo na boca representava uma espécie de contrato entre o senhor feudal e o vassalo (Era tipo “dou minha palavra”). Foi apenas no século XVII que os homens acabaram com o hábito de beijar uma pessoa do mesmo sexo. O beijo está presente em todas as religiões.

Curiosidades:

– Durante o beijo você movimenta 29 músculos, dos quais 17 são da língua.

– Os batimentos cardíacos aceleram, vão de 60 a 150, fazendo uma espécie de exercício para o coração.

– Um beijo caprichado gasta em média 12 calorias.
Tipos de Beijos:

Esquimó – esfrega a ponta do   com os cílios

Borboleta – nariz no nariz do seu parceiro (a).

Francês – é o tradicional beijo de língua.

Selinho – com os lábios.

Cinematográfico – é o chamado beijo técnico, não envolve emoção.

Arrepio – é aquele dado na orelha.

Titanic – é aquele que ocorre grande troca de salivas.

Conde Drácula – é aquele que se estende até o pescoço.

Amigos – é o de selinho, onde os amigos encostam os lábios delicadamente e de forma carinhosa, fazendo bico e durando alguns segundos.

Perigo:
Se você é daquele tipo de pessoa adepta do tal “ficar” (agarra uma ou mais pessoas em um só dia), corre o risco de adquirir certas doenças, entre elas a mais conhecida é a gengivite. Então, tome cuidado e escolha bem a boca antes de beijar.

Por Eliene Percília/Equipe Brasil Escola.com


Como surgiu o beijo na boca?

Aline Marqueson  Janeiro 26, 2008

Essa é uma pergunta feita por muitas pessoas. Como surgiu o beijo na boca? Historiadores contam de diversas formas, a história do beijo.

Acompanhe e divirta-se com as histórias.

O beijo na boca surgiu na França. Aquele em que as línguas se entrelaçam. Também conhecido como beijo de língua. A expressão foi criada por volta de 1920.

Além dessa, existem várias outras história que explicam a origem do beijo na boca, gostaria de lhe mostrar outras loucas, que completam o acervo da origem do beijo.

Entre os Persas, na Antiguidade, os homens trocavam beijos na boca. Mas só pessoas do mesmo nível hierárquico e social o faziam.  Se um dos homens fosse considerado hierarquicamente inferior, o beijo deveria ser dado no rosto.  Outra história também contada é que o beijo surgiu a muitos anos, em Roma, quando os homens precisavam controlar o consumo de vinho.  Eles beijavam suas mulheres para descobrir se elas tinham tomado a bebida.  Daí para frente, a arte de beijar foi se expandindo.

No período da Renascença, o beijo na boca era uma forma de saudação muito comum. Na Inglaterra, ao chegar na casa de alguém, o visitante beijava o anfitrião, sua mulher, todos os filhos e até mesmo o cão e o gato se os tivesse.

Na Escócia antiga, os padres beijavam os lábios da noiva no final da cerimônia de casamento.  Dizia-se que a felicidade conjugal dependia dessa benção em forma de beijo. Depois, na festa, a noiva deveria circular entre os convidados a beijar todos os homens na boca, que em troca, lhe davam dinheiro.

Somente no século 17 que os homens deram fim ao beijo na boca, entre pessoas do mesmo sexo, na hora de se cumprimentar, substituindo, então, pelo abraço cerimonial. “Paralelamente, os religiosos substituíram o beijo na boca pelo beijo nos pés, o beijo nas mãos, chegando ao aperto de mão e ao abraço.”

Daí se conta o surgimento do beijo na boca, agora aproveite para beijar e acredite na história que mais parece com você.

A História do Beijo e as Religiões

Autor : Prof. João Flávio Martinez

Publicado em : 16/10/2007

Introdução

O primeiro beijo dado foi o sutil Sopro Vital do Criador; que com amor, através da Respiração Divina, nos deu o Sublime Beijo criando nossas almas e nossas vidas (Gn. 2:7).

Na Suméria (região da antiga Mesopotâmia, hoje Ásia), as pessoas costumavam enviar beijos para os céus, endereçados aos deuses. Na Antigüidade, o beijo materno, de mãe para filho, era bem comum. Entre gregos e romanos, era observado entre todos os membros de uma família e entre amigos bastante íntimos ou entre guerreiros no retorno de um combate, muitas vezes, com conotação erótica. Os gregos, aliás, adoravam beijar.  No entanto foram os romanos que o difundiram. Para explanar sobre o beijo, o latim tem três palavras distintas: osculum, beijo na face; basium, beijo na boca; e saevium, beijo leve e com ternura.  Beijo na boca, entre cidadãos da mesma classe social, era uma saudação praticada pelos persas.  Heródoto, no século 5 a.C., listou todos os tipos de beijos e seus significados entre persas e árabes.

Na Idade Média, séculos 12 e 13, a saudação entre religiosos cristãos tornou-se o beijo de paz, que simbolizava a caridade e unia os cristãos durante a missa.  O beijo de paz também era utilizado pela Igreja nas cerimônias de ordenação, na recepção de noviços, na missa etc. Neste mesmo período da história, a Igreja Católica proibiu o beijo, caso este tivesse alguma conotação libidinosa.  O beijo, afirmavam os religiosos, não tinha de ter ligação com o prazer sexual.  Os fiéis passaram a beijar o osculatório e somente os clérigos mantiveram o costume do beijo nos lábios para as cerimônias.

O beijo na boca passou também a representar uma espécie de contrato entre o senhor feudal e o seu vassalo.  Era algo como “dou minha palavra”.  Os burgueses adotaram o beijo na face como sinal de saudação; os nobres usavam o beijo na boca para o mesmo fim.

Somente no século 17 que os homens deram fim ao beijo na boca, o substituíram, então, pelo abraço cerimonial.  Paralelamente, os religiosos substituíram o beijo na boca pelo beijo nos pés, o beijo nas mãos, chegando ao aperto de mão e ao abraço da paz.

No século 19, o surgimento do Romantismo, que dava ênfase ao individualismo, lirismo, sensibilidade e fantasias, com o predomínio da poesia sobre a razão, favoreceu aos ardentes romances e tórridas paixões.  Conseqüentemente, os beijos ganharam tremendo espaço e popularidade.  Com o feminismo, a mulher, muito mais liberada, não tem mais vergonha de expor seus desejos.  A literatura oriunda desta época, os filmes produzidos em Hollywood (quem não se lembra da cena protagonizada por Vivian Leigh e Clark Gable em “…E o Vento Levou”?, mudou hábitos tradicionais de vários povos.  Entre os negros, amarelos, povos árabes e indianos, entre os quais o beijo não fazia parte dos costumes.

(Adaptado do site: http://www.an.com.br/2001/abr/12/0ane.htm)

Uma Abordagem Teológica do Beijo:


Segundo a Bíblia:
Modo de saudação usado no Oriente desde os tempos patriarcais (século XVIII a.C.), entre pessoas do mesmo sexo, e em casos especiais, entre pessoas de sexo diferentes. Os pais e as mães beijavam os filhos e pessoas da mesma família, cf. Gênesis 31:28 e 55; 48:10; II Livro de Samuel 14:33. Os filhos beijavam os pais; cf. Gênesis 27:26. Irmãos e irmãs beijavam-se mutuamente – cf. Cantares 8:1. Do mesmo modo faziam outros membros da família; Gênesis 29:11. Amigos e camaradas beijavam-se reciprocamente – cf. I Livro de Samuel 20:41. Nos tempos de Jesus Cristo, os convidados a um banquete eram beijados à entrada da casa – cf. Lucas 7:45. Era assim que os antigos cristãos se saudavam – cf. Romanos 16:16, como símbolo de fraternidade cristã. O beijo parecia não ter conotação maliciosa e era encarado como um cumprimento corriqueiro entre as pessoas e uma expressão de amor fraternal. O beijo de Judas, o beijo da traição, tornou-se tanto mais vil e odioso devido ao fato de um ato de amor fraternal ter sido usado como ato de deslealdade – cf. Mateus 26:49. O beijo era um sinal de respeito, beijavam-se os pés dos reis em sinal de grande honra, ou de humildade e sujeição – cf. Salmos 2:12. A mesma idéia se ligava aos idólatras que beijavam seus ídolos – cf. I Livro de Reis 19:18. Era uso atirar beijos com a mão depois de haver beijado – cf. Jó 31:27. (Adaptado do Dicionário Bíblico de J. Davis, Editora Juerp, 15ª Edição de 1989).


O Beijo na Concepção Islâmica:

O comentário que se segue foi feito pelo líder islâmico Samir El-Hayek tradutor do Alcorão para o português. Ele comenta sobre o beijo:

“Nós muçulmanos nos beijamos. Beijamos nossos amigos e irmãos… Não na Boca! Nem a própria mulher a gente costuma beijar na boca. Beijamos no rosto, na testa. É a nossa cultura. O beijo na boca é invenção do cinema hollywoodiano, que continua ganhando muito dinheiro com isso”.

Adaptado do site:www.pucsp.br/rever/rv2_2002/i_rodvan.htm ).
O Beijo na Concepção Católica:

Bem, como já vimos acima, o beijo amoroso foi proibido pela Igreja Católica na Idade Média e em nossas pesquisas não conseguimos a informação se esse decreto foi extinto ou não. Entretanto, a Igreja Católica Romana tem no beijo uma maneira de referência e adoração; beijam-se as imagens e abascantos, beija-se a mão do clérigo, o padre beija o altar, o Papa por várias vezes beijou o solo onde foi peregrinar, beija-se após fazer o sinal da cruz, beija-se o irmão de fé em sinal de amor cristão… Enfim, poderíamos dizer que o beijo compõe o culto e os rituais do catolicismo.


O Beijo nas religiões Orientais:

Para as religiões Orientais, o beijo é um ato muito íntimo, jamais realizado em público. É algo reservado e que dificilmente será motivo de vexatório.
O Beijo na Ótica Protestante Evangélica:

A Bíblia mostra que os irmãos se saudavam com um beijo no rosto em sinal de cordialidade e cumprimento (Rm.16:16). Era um costume da época, como o nosso hoje, de saudar uns aos outros com um aperto de mão. O ósculo não é colocado como uma doutrina ou ensinamento, mas apenas como um gesto de cordialidade que deveria e deve haver entre os irmãos. Em nossas igrejas o povo é livre para saudar, não frisamos o ósculo pelo fato da inconveniência. A Bíblia nos ensina a evitar a aparência do mal (I Ts.5:22). Na nossa sociedade, homem beijando homem é um tanto desconfortável, sendo considerada uma prática libidinosa. Não queremos causar escândalos a ninguém (Rm.14:13) e por isso evitamos a prática do ósculo. O beijo no culto evangélico não é usado como no caso do catolicismo.

No casamento, na intimidade do casal evangélico, não há restrição no ato do beijo na boca. Entretanto, no caso do namoro, todo cuidado se faz necessário, pois a fornicação é um pecado segundo a Bíblia (Ap. 21:8). O beijo caloroso demais entre o casal de namorados pode sair da esfera de carinho e se tornar carícia, por isso a necessidade de se ter os devidos cuidados. No meio evangélico, geralmente, existe um conselheiro que acompanha o casal de namorados e fornecendo-lhes as devidas orientações e precauções que devem ser aplicadas no dia a dia.

“As almas se encontram nos lábios dos enamorados”

Percy Bysshe Shelley, poeta romântico inglês(1792-1822)

Beijar é tão bom, que a data merece ser comemorada todos os dias.   Mas como no dia 13 de abril a celebração é oficial, nada como essa boa desculpa para praticar.  E de todas as formas.

Afinal beijar é saudável, faz bem ao coração e emagrece

Estima-se que um beijo caprichado de 10 segundos possa queimar até 12 calorias, e movimente 12 músculos do lábio, 17 da língua e 9 do pescoço.  Ou seja: um delicioso beijo de 1 minuto pode te ajudar a queimar as calorias daquela bola de sorvete de morango que você devorou depois do almoço!

Nada mal para quem está querendo entrar num regime!

Um bom beijo faz o nosso coração disparar.  A pulsação normal, que é de 60 a 80 batimentos cardíacos por minuto, chega a 150!  Dependendo do beijo – e da pessoa beijada- a impressão que se tem é de “ter o coração saindo pela boca”!  Nessa hora, o organismo produz substâncias químicas que transmitem ao corpo a sensação de leveza física e emocional.  São substâncias liberadas pela hipófise, tálamo e hipotálamo, partes do cérebro. As pupilas dilatam-se.

Dizem os cientistas que o beijo também tem seu lado ruim.  Pesquisadores afirmam que, além da troca de água, sais e gorduras, cerca de 250 espécies de vírus e bactérias diferentes são transmitidas através dele.  Será que alguém pensa nisso na hora de beijar?? Pois é, talvez essa seja a melhor forma de pegar um germe!  Por isso, não deixe que estes microorganismos estraguem seu dia, saia do computador e vá comemorar.

TEXTO PARA REFLETIR…

Para meus amigos que estão…  SOLTEIROS

O amor é como uma borboleta.  Por mais que tentes pegá-la, ela fugirá.

Mas quando menos esperar, ela está ali do teu lado.

O amor pode te fazer feliz, mas às vezes também pode te ferir.

Mas o amor será especial, apenas quando tiveres o objetivo

de se dar somente a um alguém que seja realmente valioso.

Por isso, aproveita o tempo livre para escolheres.
Para meus amigos. . . NÃO SOLTEIROS

Amor não é se envolver com a “pessoa perfeita”, aquela dos nossos sonhos.

Não existem príncipes, nem princesas.

Encara a outra pessoa de forma sincera e real,

exaltando suas qualidades, mas sabendo também de seus defeitos.

O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme

no melhor que podemos ser.
Para meus amigos que gostam de. . . PAQUERAR

Nunca digas “te amo” se não te interessa.

Nunca fales sobre sentimentos se estes não existem.

Nunca toque numa vida, se não pretendes romper um coração.

Nunca olhes nos olhos de alguém, se não quiseres vê-lo

derramar em lágrimas por causa de ti.
A COISA MAIS CRUEL QUE ALGUÉM PODE FAZER, É PERMITIR QUE ALGUÉM SE APAIXONE POR TI, QUANDO TU NÃO PRETENDES FAZER O MESMO.
Para meus amigos. . . CASADOS.

O amor não te faz dizer “a culpa é”, mas te faz dizer “me perdoe”.

Compreender o outro, tentar sentir a diferença, se colocar no seu lugar.

Diz o ditado, que um casal feliz é aquele feito de dois bons perdoadores.

A verdadeira medida de compatibilidade não são os anos que passaram juntos;

mas sim o quanto, nesses anos, vocês foram bons um para o outro.

Para meus amigos que têm um CORAÇÃO PARTIDO

Um coração assim dura o tempo que tu desejes que ele dure,

e ele lastimará o tempo que você permitires.

Um coração partido sente saudades, imagina como seria bom,

mas não permitas que ele chore para sempre.

Permita-se rir e conhecer outros corações.

Aprende a viver, aprende a amar as pessoas com solidariedade, aprende a fazer coisas boas,

aprende a ajudar os outros, aprende a viver tua própria vida.

A DOR DE UM CORAÇÃO PARTIDO É INEVITÁVEL, MAS O SOFRIMENTO É OPCIONAL!

E LEMBRE-SE: É MELHOR VER ALGUÉM QUE TU AMAS FELIZ COM OUTRA PESSOA,

DO QUE VÊ-LA INFELIZ AO TEU LADO.
Para meus amigos que são. . . INOCENTES.

Ela(e) se apaixonou por ti, e tu não tiveste culpa, é verdade.

Mas pense que poderia ter acontecido contigo.

Sejas sincero, mas não sejas duro; não alimentes esperanças,

mas não sejas crítico; tu não precisas ser namorado(a),

mas podes descobrir que ela(e) é uma ótima pessoa

e pode vir a se tornar uma(um) grande amiga(o).
Para meus amigos que tem MEDO DE TERMINAR.

As vezes é duro terminar com alguém, e isso dói em ti

Mas, dói muito mais, quando alguém rompe contigo, não é verdade?

Mas o amor também dói muito, quando ele não sabe o que tu sentes.

Não enganes tal pessoa, não sejas grosso(a) e rude

esperando que ela(e) adivinhe o que tu queres.

Não a (o) force terminar contigo,

pois a melhor forma de ser respeitado é respeitando.
Pra terminar

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo,

mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.

Um dia descobrimos que beijar uma pessoa, para esquecer outra, é bobagem.

Tu não só não esqueces a outra pessoa, como pensas muito mais nela.

Um dia descobrimos, que se apaixonar é inevitável.

Um dia percebemos, que as melhores provas de amor são as mais simples.

Um dia percebemos, que o comum não nos atrai.

Um dia saberemos, que ser classificado como o “bonzinho” não é bom

Um dia perceberemos, que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em ti.

Um dia percebemos, que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso…
Um dia percebemos, como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais.

Enfim,

Um dia descobrimos, que apesar de viver quase um século,

esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos,

para dizer tudo o que tem que ser dito.

O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou

lutamos para realizar todas as nossas loucuras.

Quem não compreende um olhar,

tampouco compreenderá uma longa explicação.

Martha Medeiros

O que achou do artigo?

comentários

Carioca, 62 anos, corpinho de 60 e cabeça de 50. Feliz e disposto a descobrir novas felicidades em cada momento da vida. Há algum tempo, com minha experiência e vivência, resolvi me dedicar a observar as coisas, pessoas e acontecimentos, ao meu redor, utilizando este conhecimento para melhorar minha qualidade de vida, junto às mulheres, amigos, parentes, colegas de trabalho e às vezes até com pessoas que pouco conheço, usando apenas informações. E acreditem se quiserem, não é que começou a dar certo. Acertava quase sempre, quando emitia uma opinião. No meu casamento então, funcionou que foi uma beleza. Aprendi a ouvir minha mulher em assuntos que antes considerava como exclusivamente meus. Não que não erre ou não me machuque. Sou normal, tenho qualidades e defeitos, mas consegui ter um índice grande de acertos, conseguindo assim evitar cenas em que a DR (discussão de relacionamento) iria para o buraco, senão definitivamente, pelo menos temporariamente. Minha mulher aprendeu a não só respeitar o que digo, como a observar como eu, tudo o que se encontra a sua volta. Casado há dois anos, depois de seduzido e sequestrado por uma baiana. Um metro e meio de pura sedução e gostosura. Vou repetir, estou feliz. Muito feliz. Três casamentos, quatro filhas e um casal de enteados dão-me a vivência necessária e suficiente para me associar ao Doutor Neurônio e participar deste blog. Afinal, graças às nove mulheres de minha vida (quatro mulheres - esposas -, quatro filhas e uma enteada), sem contar minha mãe e irmãs, posso garantir que ninguém conhece mais bolsas e sapatos que eu. Sei exatamente quase tudo o que elas querem, seus desejos de consumo, seus sonhos e até mesmo o tipo de surpresa causada por cada presente. Se chegarmos à parte de roupas íntimas, desde que conheci algumas marcas famosas (só dou as marcas se patrocinarem o blog), acho que sou quase imbatível. Maduro e consciente das necessidades delas vejo hoje a felicidade de minha mulher, quando saio com ela para as compras, seja para comprar uma maquilagem ou um biquini. Defendo a teoria que não vou deixar de olhar uma mulher bonita, mas que prefiro a honra de estar ao lado de uma igual ou melhor. Sei, também, que poder dar presentes é uma situação a que nem todos os homens estão dispostos ou disponíveis, indo desde a falta de dinheiro, fácil de entender, até a falta de interesse, que não é e nunca será aceita por ninguém, muito menos pela pessoa com quem ele se relaciona. O que custa levar uma bijuteria de R$ 2,00, para quem você ama? Sabe o que ela vai pensar? Que você não parou de pensar nela, e isto é bom para vocês dois. Com base no livro do terapeuta americano, John Gray, “Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus”, estou escrevendo “Eu Falo Venusiano”, onde procuro mostrar aos homens que depende deles, ou melhor, de nós, dar a quem amamos o máximo de felicidade que pudermos. As críticas ao comportamento masculino em alguns trechos são profundas e simples, como a lembrança da gentileza ao abrir a porta de um carro. Não importa se o controle remoto de seu carro é o mais moderno do mundo, quem deve abrir a porta do carro para ela entra, é você. Outro assunto abordado é por que mentir para conquistar alguém e quando consegue seu objetivo, mostrar que tudo não passou de uma mentira... Por quê? Se você lembrar que suas mentiras o levaram a atingir seu objetivo, nada como investir em fazer crescer o relacionamento que você fez de tudo para começar. Se entregar ou não no primeiro encontro levantou a maior polêmica entre as pessoas consultadas e entrevistadas. Este item me tomou muito tempo, pois foram quase 1.500 depoimentos. Uma população que me dava a base necessária para apoiar minhas teorias sobre o assunto. Quer saber? Compre e leia o livro. Em breve nas livrarias. Alex Paranhos

5 comentários No Beijar na Boca é Bom?

  • Eu apreciei muito esse assunto de “beijo”,eu tive uma boa leitura,gostei,estão de parabens……..

    Beijosssssssss

  • Tati e Andressa
    Mais uma vez quero agradecer a presença de vcs em minhas crônicas.
    Obrigado pelos elogios.
    A filósofa, slavo engano, chama-se Ivete Sangalo…rsrs
    Beijos às duas
    Alex

  • como diz aquele filósofa…
    “eu quero mais é beijar na boca!”

    heh

  • Morri e fui enterrada duas vezes, com esse post!! rs
    Carambaaa, Alex!! Post perfeito, incrível, completo!! Um montão de informação que eu não sabia e adorei saber!
    E o legal é que todas as informações, você lê e pensa “putz, é vdd”. O beijo do capricorniano que eu posso garantir é como descrito rs
    E as frases tb claro, todas refletindo verdades absolutaaas!
    Obrigada, obrigada, obrigada! Seus posts iluminam o dia, Alex. 😉

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.