Correções Frontais

Tooodas querem ganhar as mesas de cirurgia. O nariz não está perfeito. A testa chega a gritar. O queixo detesta aparecer. Tímido ele, não?! As garotas do Brasil provam todos os dias a real insatisfação com os dotes presenteados por Deus. Maquiador nenhum pode mais dar uma volta no shopping sem ser jogado na parede e interrogado até a loucura. Calma, sweet ladyes, os seus problemas acabaram. Esqueçam os bisturis e as serras elétricas; com pincel e tons escuros de base e pó, cada plebeia pode ter o seu dia de rainha. Benditas sejam as correções frontais.

A regra é simples, a brincadeira é com as noções de volume, de claro e escuro, que vão trazer resultados cabalísticos ao seu visual e podem até alterar a sua feição. Desde já, saibamos que tons claros iluminam, acendem, aumentam, transformam, valorizando cada superfície – quem não sabe do iluminador no centro dos lábios, antes do batom, para aumentar a boca? – e que tons escuros aprofundam, apagam, e fazem a gente ignorar esses pequenos detalhes. Tudo não passa de pura ilusão de ótica. É, meu bem, maquiagem é magia… E ciência também, o cérebro vai interpretar os pontos valorizados num rosto bem maquiado e a mensagem decodificada é de que a anatomia é perfeita, coerente com os padrões de beleza atuais.

É como se faz para afilar o rosto. Lembram? Passamos o blush nas bochechas, aliviando a estrutura facial. Mas o blush, ou mesmo um pó marrom, ainda pode ser utilizado abaixo dos maxilares, para evitar uma expressão mais rígida, quadrada, hostil; ou nas têmporas e no alto da testa, para diminui-la. Sempre com muita sutileza. Outro exemplo bem básico é o ponto de luz no olhar. Sempre colocamos tons cintilantes na camada interna da pálpebra e escuros nas extremidades. O lance é, como os tons escuros aprofundam, a ideia que se tem são de globos oculares maiores, originando sombras nos olhos. Perceberam que o nome do produto tem uma ligação? As maquiagens são desenvolvidas em cima das técnicas de correções frontais básicas. Errar, nesse caso, é apenas o desastre que os smokey eyes provocam em quem tem os olhos pequenos.

Para entender ainda mais, partimos para o corretivo. Todos os maquiadores dizem que tons claros na zona T, valorizam o semblante. Eis a famosa mistura de tons que algumas revistas comentam. Nada mais que a ação do produto em acender a região em que foi depositado; fazendo com que a parte central do rosto venha mais para a frente. E isso vale para os queixos inclusos, para dentro.

O nariz grosso, redondo, também merece atenção. O corretivo já passado no meio, na camada cartilaginosa, já atribuiu luminosidade à sua anatomia. Nas laterais, um pó, dois tons mais escuros que a sua pele, aplicado com pincel, evidenciará ainda mais a superfície iluminada. Acarretando numa “plástica visual” perfeita. É só ter calma e espalhar bem os produtos, para não ficarem à mostra. O segredo é não esquecer que o truque é brincar com as sombras no rosto. Ligar a luz nos lugares certos. A noite é sua, aproveite.

Douglas Guerra

Um Rosto Bonito

O que achou do artigo?

comentários

Publicitário, Maquiador de Estúdio, Vitrinista, Stylist e Produtor de Moda em Fotografia. Estas são só algumas das atividades de um dos mais conhecidos profissionais da Moda e da Beleza em Pernambuco. Detalhista, o que mostra que o seu forte, literalmente, é cuidar da imagem das pessoas. Com uma formação inteiramente voltada para a Maquiagem em Fotografia, Cinema, TV (HDTV) e Passarela, Douglas Guerra vem atuando nos mais famosos estúdios do Estado e seu portfólio soma nomes de dezenas de grandes fotógrafos. Assinando beleza e a produção de importantes ensaios em Recife e outras cidades do Nordeste, Douglas Guerra tem seu nome presente em diversos trabalhos em jornais e revistas pelo Brasil. Formador de opinião, ele se encontra sempre presente em projetos que promovam a comunicação e cultura, levando critério e bom gosto a todos os lugares.

3 comentários No Correções Frontais

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.