Era uma vez…

Minha história é um pouco longa mas vou tentar simplificar…

Há 2 anos eu me envolvi com um cara só por sexo. Eu sou casada (e ele mora com uma mulher) e eu não estava nada bem, sobretudo comigo mesma. Era pra ser só isso mas nós nos divertíamos tanto que acabou durando um ano. Ele me chamou para viajar com ele e por coincidência do destino ambos tivemos compromissos profissionais em outro Estado.

No primeiro dia ele estava super carinhoso (coisa não muito comum) mas quando voltei do banho percebi que ele havia mexido em minha bolsa e visto uma foto do meu esposo. Depois disso ele mudou e começou a me tratar com frieza. Eu fiquei irada e só dormi com ele a primeira noite.

Depois dessa viagem fracassada eu resolvi que não iria mais ficar com ele. Tentei esquecê-lo, reconquistei meu esposo, investi no meu casamento, até fiquei grávida, mas acabei perdendo o bebê. Deixei claro que não queria mais ele: enviei-lhe um email e disse que estava me envolvendo e não era isso que eu planejava. Ocorre que convivemos num mesmo ambiente e desde que eu não o quis mais me parece que ele gosta de mim. Eu não quero gostar dele, eu trato com qualquer outra pessoa e isso me dói muito. Ele faz toda a linguagem corporal de que gosta de mim, me olha tanto que outras pessoas já perceberam, e apesar de ser um garanhão ele faz de tudo (e sempre fez) para eu achar que ele não é. Até a namorada dele deve saber da gente pela forma como ela me olha.

mda banner 2

O problema é que ele nunca chegou pra conversar e isso ficou mal resolvido. Às vezes eu me sinto mal com a situação porque eu sei que estou magoando-o, mas não sei o que fazer.

Gosto dele, mas não quero gostar. Ele não é o tipo de homem que eu confiaria para dividir a minha vida e nem tem atributos intelectuais que eu julgo indispensáveis. Eu sou culta, estudada, gosto de ler, sei que um relacionamento com ele não poderia durar. Além do mais eu tenho um esposo maravilhoso. Eu me arrependo muito de ter me envolvido nessa situação, mas não consigo deixar de gostar dele e o fato de achar que é recíproco me perturba mais ainda.

Tudo que faço pra me afastar dele dar errado e eu acabei de descobri algo inacreditável: estou me mudando para o mesmo lugar que viajamos há um ano atrás, vou sozinha, e ele também irá pra lá a trabalho na mesma época. Eu descobri, mas ele ainda não sabe.

Estou perturbadíssima!


Olá R.,

Era uma vez uma mulher casada, que vivia não tão tranquilamente assim e que por conta disso acabou entrando em uma aventura que lhe proporcionou certa emoção carnal e deixou boas lembranças ao ponto dela ficar inquieta com o tal aventureiro.

Inquietude às vezes é somente uma inquietude. É claro que ela pode gostar dele porque o que ficou de tudo que passaram foi algo bom. Tanto é que é o que ficou no passado hoje ela olha para o esposo como sendo maravilhoso e investiu nessa relação para que ficassem bem ou para aliviar certa culpa pela pequena aventura vivida? Ou as duas coisas? Há algo ai que é preciso que seja cuidado, escutado.

Agora R., uma coisa eu pude aprender com relacionamentos. Por mais que possamos querer o bem de outra pessoa, somos responsáveis mesmo é por nós. A escolha do outro sempre será a escolha do outro. Aquela conversa de que somos responsáveis por quem cativamos é uma maneira de nos responsabilizarmos pela liberdade alheia. Entendo que gostar é algo que, as vezes ultrapassa a escolha, pode surgir como algo sem medida e intenso mas mesmo assim isso é algo muito particular e ninguém pode ser responsabilizado. Você mesma tem um senso critico importante ao dizer que o cara não seria alguém com quem você dividiria a sua vida, pois bem, tem pessoas que passam por nossas vidas apenas para fazerem parte de determinado momento e com isso, pela situação vivenciada, podem nos proporcionar um aprendizado e nos acrescentar em maturidade.

Qual é o lugar que esse cara ocupa na sua vida? Sabendo disso você nem precisará deixar de gostar dele, mas perceberá que esse gostar restringiu-se apenas a um momento que passaram, se a sua escolha for não ficar com ele. Com isso o tempo passa e a sua história continua, sob outro contexto. Essa coisa de que você faz de tudo para afastar-se dele e tudo da errado é uma questão de que esse afastar-se não é algo relacionado a uma distância somente. Afastar-se está relacionado a desligar-se dele intimamente porque tendo isso, ele pode estar tanto ao seu lado quanto longe, que a sensação será a mesma, de apenas uma pessoa com a qual você teve um momento da vida em comum, se assim você quiser é claro.

Até mais!!

Márcio Oliveira

[email protected]
Meu
Blog: As Palavras

Tem pressa para receber sua resposta? Deseja
atendimento personalizado e ao vivo? Assine um Plano VIP.

Perfil do orkut (recém criado): http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=6153601257327704676

Siga o Cérebro Masculino no twitter: http://twitter.com/CerebroMasc e saiba instantaneamente quando o blog é atualizado.

Psicólogo, consultor de relacionamentos e quase Mestre pela USP-SP. Meio NERD, completo romântico, mas não abre mão de um intenso beijo na boca e um alinhamento entre coração, corpo e mente.

3 comentários No Era uma vez…

  • R, sua história tem um misto de prazer, culpa, medo, são tantos sentimentos misturados que nem você mesma sabe o que é.
    Pare, pense, reflita e veja que com esse cara você nao levaria a vida que quer, você mesma disse que ele nao é seu tipo de homem.
    Então penso que é melhor mesmo você continuar investindo no seu casamento.

  • jaciara carreira

    R;
    A impressão que tenho é que você ao querer consertar o que acha um erro esta intimamente afundando mais nele.Não faça com alguém o que não gostaria que fizesse com você.

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.