Marjorie em “Negação”


Marjorie chegou a casa e encontrou todas as coisas como as deixou. Inclusive Enrique, que não mudou muito seu modo de viver, a não ser o fato de ter sido obrigado a repensar sua vida, tudo continuava igual como ela havia deixado.
Em outros tempos esse fato haveria de deixá-la irritada com ele, começaria aquelas velhas cobranças sem cabimento algum, tiraria noites de sono, a obrigatoriedade de tomar tranquilizantes para dormir, e a constante vontade de chorar.
Desfez as malas, organizou as novas roupas no armário, vestiu-se de leve para rever os amigos, velhos conhecidos que agora teriam a oportunidade de vê-la mais forte, confiante, feliz e sedenta para reinaugurar sua existência naquele ambiente tão bem conhecido por ela.
Notou que as pessoas não mudam muito, elas estavam ali, falando dos mesmos problemas, perguntando as mesmas coisas, sorrindo aquele riso rotineiro que disfarça muito bem o cansaço de passar uma vida toda acreditando que viver era só isso mesmo.
Marjorie queria negar esse futuro para ela, não queria passar por essa vida sem realizar coisas que acreditava ser importantes , mesmo que as ruas fossem as mesmas, mesmo que aquela cidade continuasse do mesmo modo que deixou há um ano, era hora de ela própria reconstruir sua vida, partindo do zero se preciso fosse.
Ela sabia que o mais difícil ainda estava por vir, negar seu coração, negar velhas histórias, negar velhos conceitos, negar o passado.
Mas, a necessidade faria Marjorie seguir adiante e quando o telefone toca e ouve a voz de Enrique outra vez odeia-se por sentir seu coração bater tão acelerado.

Sara Mel
23/06/2012
[email protected]

Jussara de Melo, escrevo nas categorias crônicas e poesia e espero utilizar esse espaço como forma de recuperar o romantismo, a sensibilidade e a formosura feminina que nós mulheres todas temos dentro de nós. Nos meus textos você encontrará: amor, desejo, emoção, fantasia, esperança e muita paixão. Frase preferida: Antes de falar, escute. Antes de ler, pense. Antes de criticar, espere. Antes de orar, perdoe. Antes de desistir, tente. E-mail: [email protected]

2 comentários No Marjorie em “Negação”

  • LuciaC disse:Udo Jurgens ainda e9 sucesso?Que deledcia saber, Helena! para mim sere1 spemre.Entendo tanto de aleme3o que escrevi zag e ne3o sag.Eu sf3 repetia tudo feito papagaio.Posso ate9 ver a capa do 45rpm!E era Frane7oise Hardy que cantava o le soleil.Quanto ao George Moustaki ficava repetindo o Le me9te8que ate9 quase furar o vinyl para aprender os acordes no viole3o.Avec ma gueule de me9te8que de juif errant, de pe2tre grecet mes cheveux aux quatre vents trommmmmTambe9m spemre adorei a musica francesa.Beijos

  • Vale a pena ver também esse vídeo…amei

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.