O culpado da TPM


Olá!

Hoje temos o terceiro e último post do Rodrigo Martins como candidato a autor. Chegou a hora de decidirmos.. Então peço que na parte de comentários, apenas digam SIM ou NÃO..

Boa sorte, Rodrigo.

Todo homem que convive ao menos um mês inteiro com uma mulher sabe do que se trata. Seja sua esposa, namorada, ficante, irmã, mãe, amiga, colega de trabalho, ou a namorada do amigo, acontece uma vez por mês com todas elas, e por conseqüência, com todos nós. É um período complicado, para o qual o homem precavido se prepara como para uma batalha longa. Pois, mesmo durando apenas alguns dias, parece uma eternidade.

Para saber quando levantar a guarda, vale fazer tabelinha, acompanhar sinais de irritação, ou mudanças de humor. Alguns mais safos podem tentar acompanhar alguns indícios mais físicos, como o crescimento de algumas partes do corpo e – isso varia de mulher para mulher – o aumento ou diminuição do apetite sexual. Quanto melhor você for, em perceber os sinais mais sutis, mais antecedência você tem e melhor se prepara para o que vem.

Até porque toda vez é a mesma coisa, todo mundo já sabe. Até as mulheres – ao menos as que não estiverem nesse período de seu ciclo menstrual – concordam e até dão risadas dos efeitos desse momento de trevas na vida de seus companheiros. Risadas, claro, depois de passadas as turbulências, porque durante o período as principais emoções que se demonstram são tristeza, raiva e frustração – tanto de mulheres quanto de homens.

É por isso que o guerreiro precisa se preparar bem para essa batalha. Para tentar passar por ela com o mínimo de baixas e prejuízos possível. Principalmente para evitar qualquer atitude que o transforme no Culpado da TPM.  O culpado é praticamente o laranja de uma operação mafiosa, o bode expiatório. Não teve envolvimento direto com nada escuso, não levou nenhuma bolada. Enfim, não tem nenhum benefício direto, mas é sobre ele que caem todos os ônus, todas as penas e conseqüências negativas.

Normalmente, pela proximidade e pelo laço emocional, cabe ao namorado este papel de vilão. Qualquer coisa que se faça, ou deixe de fazer, é o fim do mundo. E a partir daí, meu amigo, desculpas até o fim. Mesmo sabendo que não vai adiantar. Qualquer outra coisa vai se somar ao resto, e tudo o que fizer ou disser pode e será usado contra você no futuro – enquanto não houver fluxo.

Todos já vivemos alguma coisa parecida. Já que não é possível simplesmente se afastar e manter uma distância mínima segura durante estes dias tenebrosos, o melhor a fazer é se preparar, ler bem todos os sinais de que eles estão chegando e esperar. Esperar porque, se você se cuidar, fizer tudo certo, dentro do esperado, você tem uma chance. Uma chance pequena, quase mínima, de alguém fazer ou deixar de fazer alguma besteira antes de você. E aí, essa pessoa é a culpada.

Esses são os casos em que o soldado pode – ainda que alerta – ficar mais tranquilo. Cuidar, acudir e dizer que vai ficar tudo bem. Abraçar enquanto ela reclama de qualquer coisa que um outro culpado fez. São nessas poucas vezes que o homem pode finalmente apreciar a única benesse, que às vezes passa despercebida, de uma TPM: a certeza de que a contracepção funcionou. Afinal, é melhor uma batalha a cada mês que uma surpresa nove meses depois.

Um amigo que fala a realidade na cara, sem mimimi ou enrolação. Conta a mais pura e simples verdade, doa a quem doer.

5 comentários No O culpado da TPM

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.