O Livre Arbítrio divino

Namoramos um ano e meio, moramos juntos por 6 meses até que ele resolveu sair de casa porque a religião não permitia e ele diz que não sabia disso. Mas mesmo assim continuamos a nos ver todos os dias e ele só dormia em casa nos finais de semana. Sentia-se mal quando rolava sexo em casa, até que decidiu que queria terminar, que não queria mais namorar e disse que gostava menos de mim do que eu dele…

Ocorre que, desde então (faz dois meses) nos falamos todos os dias por telefone, nos vemos sempre na academia, para almoçar, vamos ao teatro, ao cinema, mas sempre como amigos, nada de mãos dadas nem beijos ou abraços. Ele me diz que não quer namorar, que pode ate ficar com alguém e para que eu não me decepcione com ele por causa disso, mas que não quer namorar.

Depois de terminar, ficamos juntos mais duas vezes aqui em casa, mas ele disse que ficou mal com isso porque não quer me enganar nem criar expectativas de que vai voltar, que ficamos juntos por carência, porque estamos sozinhos. Ocorre que terminamos há dois meses, e continuamos nos falando quase todos os dias pelo celular, ele liga ou eu ligo, vamos ao cinema, ao teatro, almoçamos juntos, mas como amigos, sem beijo, abraço ou sem dar as mãos. Eu odeio isso porque gosto dele e quero-o como namorado, mas ele diz que não quer namorar e que podemos ser amigos e sair, mas desde que eu não crie expectativas de que vamos voltar…o que eu faço?


Olá F,

mda banner 2

Posso pensar no seu caso como um caso de um sentimento não correspondido. E sentimento não correspondido me remete à um amor, um gostar que ocorre em uma mão de via única, aliás, o gostar até pode ocorrer da outra pessoa por você, mas não o suficiente para resultar em um relacionamento.

Sobre a questão da religiosidade. Para mim fé é uma coisa e religião é outra. Não estou aqui para discutir qualquer religião, mas de certa maneira, em sua origem, muitas religiões foram criadas com o intuito de controlar, doutrinar, e de certa maneira “domesticar” o homem para que ele não fizesse nada que não fosse aquilo que os templos diziam que seria o “certo” fazer. Mas independentemente disso, há um princípio básico que pode ser interessante seguir diante de alguns dilemas como o que o seu ex passou.

Todos temos a nossa própria liberdade, o livre arbítrio divino que nos torna humanos, o fato de podermos escolher que caminho trilhar e isso em todos os aspectos da vida. Talvez o distanciamento lhe ajudasse a lidar melhor com isso tudo, já que ele diz não querer nada a mais com você do que uma amizade, mas a questão principal é você analisar isso e sentir, perceber até onde você consegue sustentar isso, ou seja, até quanto você consegue lidar bem e superar. Se isso lhe incomodar muito, peça distância, não há problema em querer pensar em estratégias para aliviar o que você sente. Se ele tem realmente certeza que não quer nenhum relacionamento sério, cabe a ele continuar o caminho e cabe à você respeitá-lo, sendo doloroso ou não, ou então ele assume de vez o sentimento que tem por você e, sendo verdadeiro, ele encara de frente um namoro ou até mesmo um algo mais, mas isso é com ele.


Até mais!!

Márcio Oliveira
[email protected]

Meu Blog: As Palavras

Perfil do orkut (recém criado):

http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=6153601257327704676

AJUDE A MANTER O CÉREBRO MASCULINO NO AR. VISITE OS SITES PARCEIROS!
Siga-nos no twitter:
http://twitter.com/CerebroMasc
e saiba instantaneamente quando o blog é
atualizado.
Envie você também sua história em
www.cerebromasculino.com/contato
que teremos o
maior prazer em ajudá-la. O único local para enviar histórias é através deste
formulário.

Psicólogo, consultor de relacionamentos e quase Mestre pela USP-SP. Meio NERD, completo romântico, mas não abre mão de um intenso beijo na boca e um alinhamento entre coração, corpo e mente.

5 comentários No O Livre Arbítrio divino

  • tu que pensa
    huahsiauhsiauhish
    já passei por um belo enrosco…
    eu tento, o problema é quando a gente quer ser enganada, sabe…
    quando faz força pra acreditar no bode…e depois que termina, só rindo de si mesma…
    xD
    mas o importante é cair e esfolar o joelho, levantar e não esquecer por que aquela cicatriz ficou lá, sabe, lembrar que você caiu de panaca porque não cuidou onde pisava…

  • Tati, assim cm o Dr., dá pra ver q vc é bem realista, sabe? Talvez sonhadora como toda mulher, mas vc tem os pés no chão, tenho uma amiga q é assim tb…

    E é difíiiiicil um carinha enganá-la! Tem q ser mestreee no assunto, senão é quase impossível… rs

  • que situação doida…

    mas o conselho é bom, a prática é que é difícil mesmo.
    e se não vai sair dessa lenga-lenga…
    se ele gosta de você ele vai assumir, ou cada um segue “carreira solo” e vai ser um show melhor…

  • É exatamente o q eu diria pra ela… Se afastar por um tempo, até que deixe de amá-lo tanto… Um dia voltar talvez mas realmente o vendo como amigo e nada mais…

    Eu SEIIIIIII que é difícil, qdo eu dou um conselho assim eu me coloco na situação e imagino eu fazendo o mesmo com o meu “bofe lindo” q eu tanto gosto… E clarooo q é difícil a decisão de se afastar, nossa, precisa de coragem demaaais, mas é a únicaaa coisa q ameniza nosso sofrimento! Aí acabamos tendo q escolher, sofrer mto d uma vez e passar, ou ir sofrendo de pouquinho por bastante tmp… Acaba ficando a critério.

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.