Pagar ou não pagar, eis a questão.

Óla garotas, hoje, saindo, um pouco, da minha área, que é responder perguntas, irei falar sobre um tema que gera muita polêmica não só, entre homens e mulheres, mas entre os próprios homens: Pagar ou dividir a conta no primeiro encontro.

O que escreverei, abaixo, pode soar muito duro e ser repudiado por algumas leitoras. Contudo, vale, como reflexão, para entender a realidade em transição que nos encontramos. E, com isso, colocar-se a frente dela.

Temos uma imposição social que seria de bom tom o homem pagar a conta. É difícil para nós ouvirmos tantas vezes os jargões “direitos iguais”, “isso é machismo”, mas na hora em que chega a conta, “o homem é quem paga”. Vejo, muitas vezes, isso associado à masculinidade, como se o homem valesse pelo que paga e não pelo que ele realmente é. Afinal, elas querem um homem ou um empresário?

É realmente interessante ver como algumas mulheres simplesmente esquecem o discurso feminista de direitos iguais quando convém. Distorcem a realidade, como se pelo simples fato de serem mulheres, já tenham nascido com o direito de fazer isso.

Pela lógica, quanto menos intimidade você tem com uma pessoa, menos razões você tem para ser gentil com ela e fazer o favor de pagar a conta dela. Logo, quanto maior a intimidade, mais motivos você tem para se dispor a pagar a conta de outra pessoa, independentemente de ser uma mulher ou um homem.

Contudo, o que não pode é o cara querer bancar o “fodão”, levar a mulher para um lugar “caro”, e depois se indignar porque ela não quis dividir a conta.

Eu diria que é até uma questão de respeito por si, de ética, as mulheres pagarem seus gastos logo no primeiro encontro. Afinal, o primeiro encontro é um investimento, dos dois. Os dois estão investindo em um início de relacionamento (seja ele qual for), e exatamente por isso, a coisa mais digna a se fazer é não tentar se aproveitar da outra pessoa, tentando infligir constrangimento e pressão social por dogmas sociais ortodoxos e ultrapassados.

Se uma mulher age de forma tão imoral, logo no primeiro encontro, utilizando subterfúgios para “empurrar a conta”, que tipo de relacionamento posso esperar ter com ela? Nada honesto creio, nem mesmo amizade seria possível. Afinal, amizade nasce da confiança e respeito mútuo.

Bom fim de semana


Mr. P

[email protected]

Tem pressa para receber sua resposta? Deseja atendimento personalizado e ao vivo? Assine um Plano VIP.

Perfil do orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=6153601257327704676

Siga o Cérebro Masculino no twitter: http://twitter.com/CerebroMasc e

saiba instantaneamente quando o blog é atualizado.

O que achou do artigo?

comentários

Empresário, administrador, jurista e escritor. Adora filosofia, psicologia, história e musculação. Crê que o "caminho da vida" é a busca da evolução perpétua. Escreve e responde dúvidas sobre os mais variados assuntos.

28 comentários No Pagar ou não pagar, eis a questão.

  • Nadabe Carvalho

    Muito bom..

  • Bom saber, Gi Raposo…
    huahuauhahuauhuhahuauhauhauhauhah

  • kkkk…Não, racho! Quando eu convido, eu pago! 😉

  • Rogerio Halpern

    OK…mas voce racha ou não….SIM ou NÂO?

  • Rsos…Seja, no primeiro ou no último encontro acho que o simples fato de num dado momento não se oferecer para dividir a conta significa que a pessoa não seja ética ou esteja tentado se aproveitar de uma situação.A pessoa pode apenas ter outra forma de ver a situação e outros valores… Sem QUERER polemizar mais…cada um pensa o que quer! Afinal, somos todos diferentes. E viva a diversidade!

  • Gi Raposo;
    Em nenhum momento o post rotula ninguém… Muito pelo contrário, ele apresenta meios para que muitas mulheres não sejam "rotuladas", por uma besteira, do que não são.
    Tudo isso dentro da esfera do "primeiro encontro". Qualquer outra discussão que ultrapasse isso, pode ser discutida, mas está fora do contexto do post.

  • Rogerio Halpern

    Concordo plenamente!

  • Eu me considero um cara na frente do meu tempo, sempre defendi as causas feministas, mas nunca entendi por que quando se trata de pagar a conta há tanta discussão,sempre quis arrumar uma mulher que pagasse as minhas,não pra eu economizar,mas pra mostrar o quanto feminista eu sou kkkk. Brincadeira a parte, o correto é que a cumplicidade,bom senso e educação devem prevalecer em qualquer relacionamento, por exemplo: quem chega ou sai de um ambiente cumprimenta quem está no local, portanto que convida paga,agora quando já existe um cumplicidade isso pode ser negociado, simples assim.

  • Luciana, amiga você arrasou ! Realmente, temos que ter a "sensibilidade" para entender que homens e mulheres são diferentes , não apenas fisicamente mas psicologicamente e culturalmente. É verdade que os tempos mudaram e muita coisa já mudou… Hoje, já é normal as mulheres estudarem , trabalharem e muitas são arrimo de família. Porém, não podemos nos esquecer que não a muito anos atrás o tempo de nossos avós e até dos nossos pais…isso não era tão natural assim. A mulher até poderia estudar e trabalhar porém tinha que está bastante claro para ela que o seu papel principal e sua maior responsabilidade é para com o lar.

    Nossa geração, representa um período de transição entre os hábitos e culturas sociais. Logo, é normal tanto encontrarmos tanto homens e mulheres com valores mais tradicionais quanto outros com uma visão mais moderna.

    Logo, me parece um tanto quanto radical e no mínimo preconceituoso rotular as mulheres de interesseiras se não se oferecem para pagar a conta no primeiro encontro. Acredito que uma relação deve ser encarada como uma parceria e baseada em respeito, amizade e confiança onde tanto cabe a mulher ou homem arcar com despesas. Eles podem até se reversar entre si e devem se ajudar financeiramente.

    Lembro-me , de um dia assistir um programa Jô Soares em uma entrevista foi levantada justamente essa questão de quem paga a conta seja no primeiro encontro ou nos demais…E o Jô muito espotaneamente declarou durante alguns anos em que se firmava em sua profissão que era a sua esposa ( com qual na época era casado ) que pagava as contas e mantinha a casa. Achei, bárbaro ele declarar isso publicamente.

    No contexto ele quis exemplificar que numa relação quando há uma parceria real ( e um gostar verdadeiro) é normal um ajudar o outro. E em alguns momentos haver uma troca o cara paga porque ganha mais…ou mulher paga porque no momento está em melhor situação financeira. E concordo plenamente com ele.

    No meu entender tudo é uma questão de contexto…e sensibilidade. Não há uma regra o cara paga, dividem, ou a mulher paga… (caramba , o primeiro encontro é o início de um possível relacionamento…a proposta é dos dois se conhecerem lembram ??? ) Então, não adianta querer receita de bolo. É preciso conversar e praticar a "sensibilidade " ( Mr. P…rsos ) para entender em que terreno se está pisando, ou seja se a mulher é do tipo moderninha, mulher macho , piriguete ou só mais romântica e tradicional ou misto de tudo isso.

    Conheço homens que quando a mulher se propõe a pagar a conta se sentem ofendidos. Já há os que gostam de dividir e outros folgados que pedem sempre para a mulher pagar. Há tanto homens quanto mulheres que fazem o papel de interesseiros.

    Novamente, reforço não há regras …temos que nos propor a sermos menos "preguiçosos" e esperar termos roteiros e regras pré-definidas.Um primeiro encontro se for com intensão de se conhecer e de estreitar um possível relação futura deve ser um momento em que ambos os atores devem se dedicar a estudar e procura conhecer um ao outro.

    Sabe é como ir para uma entrevista de trabalho ou ter um primeiro contato com um cliente ou ainda uma reunião de negócios com novos investidores…nunca se sabe ao certo o que se vai encontrar. Você simplesmente se arruma , estuda o que vai falar , pensa , procura se informar faz todo um planejamento estratégico e sai. Mas, deve está preparado para tudo! Inclusive, para o fato de repente não ser nada daquilo que você estava esperando e ter que improvisar e mudar tudo que você tinha ensaiado. Porque você teve a sensibilidade de perceber que a situação era diferente.

    Enfim, se há interesse verdadeiro dedique-se a conhecer a pessoa. E faça aquilo que no momento lhe parecer mais acertado.E isso vale para ambas as partes. Agora, se é para dar uma sugestão: é de bom tom que no ato do convite quem convidou deixe transparecer suas intenções …ou seja combinar mesmo…se vão se encontrar no lugar , se vão juntos (quem busca quem ) e especificar para onde irão.

    Isso no mínimo evita garfes do tipo: um ir com uma roupa mais social e outro chegar trajando chinelos e bermuda ( tipo a mulher se arruma, maqueia toda e o cara a leva para a pizzaria da esquina…kkk acreditem rapazes é o fim! kkkk ) ou então, deixando um pouco de lado a brincadeira …levar uma pessoa mais simples para um lugar super requintado que a deixe constrangida ( e que a pessoa passse o encontro inteiro só pensando: Caramba, quanto será que vai dar essa conta? ).

    Ou seja, galera, para quem queria uma resposta fácil do tipo : pague ou divida a conta. Sinto desapontar! Relacionamento com pessoas é complexo MESMO! Pois, os seres humanos são assim complexos e diferentes. Então, O NEGÓCIO é ter bom senso , uma boa conversa, aguçar a sensibilidade para perceber o perfil da pessoa com a qual você está saindo até mesmo para saber se combina com o seu perfil ou não.

    Por exemplo: se você tiver saindo com uma garota mais romântica ela vai se amarrar se você se oferecer para buscá-la , abrir a porta e pagar a conta como no filme uma bela mulher…

    Já há outras mulheres que se você fizer isso vão te achar um babaca , um cara pegajoso , machista e vão fugir correndo…

    E garanto a vocês rapazes tenho amigas que são tanto de um jeito quanto de outro. Da mesma maneira há mulheres que só vão querer saber de caras ricos , com caros importados e que tenham bastante dinheiro para lhe dar presentes caros… Assim, como caras que vão adorar desfilar com essas bonequinhas de luxo só para mostrar para o amigos que tem cacique (money p/ isso).

    Enfim, não tem segredo ! O que vale mesmo é o bom senso, conversar e colocar em prática aquela velha "sensibilidade" para tomar as atitudes mais apropriadas se você quer causar uma boa impressão / ( agradar) ou então agir de acordo com aquilo que você pensa (ser natural) e mostrar logo de cara a sua personalidade. Agora , a segunda embora mais sincera …pode fazer você parar logo no primeiro encontro.

    Visto que se você chegar para garata mais tradicional e já pedir para rachar a conta , ou propor se encontrar no local ela provavelmente vai achar que você não está muito afim dela…porque esse tipo garota gosta de sentir cortejada, conquistada. E vai enxergar sua atitude com desinteresse e apatia.

    Como havia dito… não há receita de sucesso, nem certo ou errado! Há pessoas diferentes que vão demandar atitudes diferentes…seja na hora de pagar a conta , ou no momento de tomar a iniciativa do encontro. 😉

  • Pagar o primeiro encontro é aceitável, mas se a mulher não quer rachar (ou alternar) do segundo em diante fuja como o diabo foge da cruz. Se você não é bom o bastante pra ela sacrificar parte de seu dinheiro, ela não gosta de você não. Depois não reclame que ela quer levar até sua alma num divórcio se você quer acostumar ela a não pagar nada.

  • concordo plenamente

  • Aí está uma das “alegrias” da vida de todos nós. A diversidade de pensamentos.
    O mundo seria tão monótono, caso todos pensássemos da mesma forma.
    Principalmente, homens e mulheres.
    Nem o CM existiria.

  • Isso não é confiança, mas desinteresse mesmo, acredito que quando estamos interessados essa confiança total não exista, porque queremos agradar..e justamente nesse ponto que esta a graça, e faz com que duas pessoas se relacionem…a vulnerabilidade de ambos de querer estar juntos!

    E concordo contigo o homem pode ter um comportamento exemplar e não valer nada depois, mas acho que todo relacionamento é um risco para os dois, mas ter esse comportamento logo de inicio vai fazer com que muitas mulheres fiquem com o pé atras contigo? Porque é da natureza da mulher ser conquistada.

    Alguns homens dizem que só tem esse comportamento quando é pegada fácil, ai ele não quer ter despesas mesmo, mas homem interessado mesmo, não tem esse tipo de comportamento.

    Mas estou falando da delicadeza do primeiro encontro, e no seu ponto de vista acredito que esteja levando a questão pelo lado financeiro demais ou até frustrado, e esquecendo desses detalhes que certamente fazem toda a diferença na vida e para uma mulher também!

    Até onde vai os direitos iguais, até onde você acha que um homem pode estar em igualdade com uma mulher? E também até onde uma mulher pode querer estar em igualdade com um homem? A mudança até pode existir sim, pagar a conta, mas pode ter certeza que a vantagem que a mulher vai descobrir na nova ideia, é bastante interessante…ela vai começar a ve-lo como igual e não como homem…

    O homem e a mulher são diferentes para se completarem e não para entrarem em competição! E homem de verdade consegue enxergar essas diferenças e vice e versa. Mr.P, só porque nascemos mulher somos confiaveis? Bom não sei, mas acho que Deus quando fez o homem não pensou igual a você, e sabe porque? Porque nos deu o dom da Maternidade a responsabilidade de colocar filhos no mundo!

  • Num relacionamento, seja ele qual for, um deve conquistar a confiança do outro. Ou será que vocês são confiáveis, apenas, pelo fato simples de terem nascido mulheres?
    A gentileza, proteção, confiança e o “ser agradável” são sentimentos que devem ser transmitidos pelo homem através da sua postura, voz e conteúdo. Se ele necessita de pagar algo para poder transparecer estes sentimentos, está muito longe de ser um “homem de verdade”.
    Por que será que estes “homens de verdade” são os mais procurados pelas “mulheres de verdade”?
    Não dividimos a conta para nos sentir protegidos, muito pelo contrário. Dividimos, porque nós sentimos, bastante, confiantes para agir do modo correto sem nos preocupar se isso surtirá algum efeito negativo na nossa imagem transmitida até então.

  • Eu não concordo, não é questão de tempos, eu acho que é entender um pouco de mulher. Não me incomodo em dividir a conta, mas a mulher esta sempre em desvantagem no sentido social” o homem sai bem mais pro mundo que a mulher…A confiança é mais da mulher para o homem. Já viu um homem sofrer assedio sexual, ser traido é comum, uma mulher comer vc com os olhos quando passa? O homem tem que conquistar a confiança da mulher…e não se sentir desprotegido nesse sentido, levar fora de mulher faz parte do universo de voces,homens. Pagar a conta é uma corte, uma gentileza, agradar…ser protetor…e toda mulher gosta disso, sentir confiança e proteção….Isso não é ser interesseira, nem ve o homem como empresario, longe disso, poderia, se a mulher explora-se essa gentileza ou o sentimento do homem, tem que saber diferenciar uma coisa da outra. No primeiro encontro é nossa essencia feminina que gosta de ser protegida, sentir que as intenções são boas, que não esta preocupado com o bolso dele, e sim em agradar a mulher que esta interessado, só isso….Agora quanto ao lado financeiro da questão, podemos fazer as contas? Quanto uma mulher gasta pra ficar bonita pra vocês? Salão, cabelo, unha, pé…acessorios, perfumes, roupas…e etc…não sai barato não ficar linda, podemos até trocar, voces viram mulher por um dia, e pagamos a conta, pode ter certeza que vamos economizar muito, vai sair bem mais barato! Apesar das mudanças, não quero um homem feminino do meu lado, se sentindo desprotegido pq pagou uma conta, acho que voces também não querem um homem de sai…uma mulher masculina…seu chapa, então dividem a conta com seus amigos no futebol, no chopp e etc…Porque um encontro quando ambos realmente estão interessado é algo especial…Ela linda, e o Homem no minimo sendo um cavalheiro! Mas nada contra quem pensa diferente também….mas não penso igual!

  • Eu gosto de dividir e se ele não tiver dinheiro eu pago…(com meu namorado no caso neh).
    Pq tenho certeza que ele faria e faz o mesmo por mim…
    Me sinto mal em ‘escanchar nas costas dos outros, no caso dele’ como
    se ele tivesse a obrigação de ter dinheiro SEMPRE!

    Ontem mesmo fomos em um restaurante e cada um pagou o seu,
    não só restaurante, mas cinemas, lanches (já paguei tudo, e ele também), e até motel nós dividimos… rsrsrs
    Como sou contabilista então já ando com a calculadora na bolsa…kkkkkkk
    DIVIDIR nada mais justo!!!

    Bjoss a todos e adorei o texto Mr. P

  • ahhhh…Mr. P. no primeiro encontro que eu me lembre nunca paguei não hehehehe 😉
    PS: mas tinha dinheiro,cartão, cheque rsrsrsrsr 😀

  • Vale lembrar, como diz a introdução do texto, que estamos falando de:

    “Pagar ou dividir a conta no primeiro encontro.”

    😉

  • Não, Deborah. Direitos iguais é direitos iguais em tudo. Por que temos que fazer a gentileza e vocês não podem? Uma vez, na primeira saída com uma menina, ela foi na frente na hora de comprar ingresso do cinema e comprou as duas por gentileza. Como retribuição, comprei toda a alimentação. Quem achar isso um absurdo nada mais é que um machista.
    Gentileza é abrir a porta, elogiar a roupa dela, ser gentil.. pagar não é gentileza.

    Esse ponto que você tocou de querer levar em um local caro, já foi mencionado pelo Mr. P, e acordado por mim, quando disse “concordo em tudo que o mr. p disse”. E sobre ela desistir por você nào ter condições, realmente é interesseira. Mas pra mim, continuo só pagando RARAMENTE quando alguém não é namorada. Virou namorada, tudo certo, mas antes não.

  • Alexandre já que essa situação de pagar a conta x direitos iguais está te deixando em dúvida, vou expor minha opinião feminina. Em primeiro lugar acho que se o cara quer “bancar o “fodão”, levar a mulher para um lugar “caro”, e depois se indignar porque ela não quis dividir a conta” tá fazendo tudo errado. Independente do tipo de relação você tem , tem que mostrar o que é de verdade e ir a um lugar onde você possa pagar a conta. Claro que dividir a conta não há mal algum(mesmo no primeiro encontro), mas em se tratando de Primeiro encontro, toda mulher gosta de gentilezas, mesmo que elas sejam apenas no primeiro encontro. e se oferecer pra pagar a conta é uma dessas gentilezas. Se não puder pagar no segundo, terceiro etc… explique a situação. O máximo que pode acontecer é ela não querer mais sair com você, então não se preocupe porque se ela desistir por causa disso é porque ela só tá interessada em quanto você tem no bolso.

  • Alexandre já que essa situação de pagar a conta x direitos iguais esteja te deixando em dúvida, vou expor minha opinião feminina. Em primeiro lugar acho que se o cara quer “bancar o “fodão”, levar a mulher para um lugar “caro”, e depois se indignar porque ela não quis dividir a conta” tá fazendo tudo errado. Independente do tipo de relação você tem , tem que mostrar o que é de verdade e ir a um lugar onde você possa pagar a conta. Claro que dividir a conta não há mal algum(mesmo no primeiro encontro), mas em se tratando de Primeiro encontro, toda mulher gosta de gentilezas, mesmo que elas sejam apenas no primeiro encontro. e se oferecer pra pagar a conta é uma dessas gentilezas. Se não puder pagar no segundo, terceiro etc… explique a situação. O máximo que pode acontecer é ela não querer mais sair com você, então não se preocupe porque se ela desistir por causa disso é porque ela só tá interessada em quanto você tem no bolso.

  • Hummmm…
    A questão dos direitos iguais merece um novo post meninos…que acham?
    Agora vamos dizer que os direitos andam muito desiguais ultimamente, o que vejo é também muitos homens deixando de cumprir o que é de direito.
    Agora pagar conta de restaurante isto é completamente normal… Se existe mulheres que esperam tudo dos homens não sei, só sei que as que conheço são independentes e jamais saem com alguem sem levar o seu cartão de crédito no bolso.
    beijuss 😉

  • Concordo plenamente com o texto todo. Querem direitos iguais, mas na hora da conta, o homem é quem deve pagar.. Falso moralismo.. Na minha opinião, o correto é sempre dividir.
    Mas também depende do que terão que pagar. Exemplos: boates.. sempre cada um paga o seu. Se vão tomar sorvete ou água de coco na praia, chega até a ser ridículo querer dividir..
    Mas em restaurantes, cinema, teatro, fast food, cada um paga o seu.
    Claro que se estão num relacionamento e um dos dois está sem dinheiro, não há mal algum em um pagar tudo, independente do sexo do mesmo.

  • Na verdade o termo que melhor traduz é delicadeza.

  • Olá! Concordo, não acho q é dever do homem bancar sozinho os encontros. Eu particularmente sempre me ofereço para dividir a conta, porém considero uma gentileza ele pagar no primeiro, assim como abrir a porta do carro (na mesma proporção, independente do valor da conta), o q é raríssimo hj em dia. E quando há encontros posteriores me ofereço pra pagar a conta inteira também.

  • Dayane Esli

    Isso depende de cada pessoa. Tem homens que não permiti que a mulher pague, tem uns que não se importa também, e vamos combinar que existe sim mulher folgada, que acha que o homem deve pagar tudo mesmo…
    Eu gosto de dividir, meu namorado já está se acostumando. Quando não tenho dinheiro, falo pra ele simplesmente! Gostei do post…

  • Mr. P.
    Eu já rachei conta até com o meu ex marido kkkkk e não foi só de restaurante não…foi tipo a lavadora nova, a tv de + polegadas, o presente de natal do filho e já perdi a conta… O que importa pra mim são os pequenos gestos, se tenho dinheiro não me importo de pagar… se não tenho fico em casa mesmo.
    Gostei muito do seu post
    beijuss da sara 😉

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.