Pequenas lacunas

Preciso muito de ajuda, preciso entender o que esta acontecendo de verdade. Eu tenho 32 anos, sou casada, trabalho com um rapaz também casado, de 41 anos, nós nunca tivemos nada, nenhum contato físico, mas acabamos envolvidos. Ficamos amigos, e de uma hora pra outra, isso se transformou, ele começou a me tratar de forma diferente, me elogiar mais do que o normal, dizer coisas que “amigos” não dizem coisas tipo: que sentiu saudades, que pensava muito em mim, que eu era muito especial, que gostava muito de mim, me mandava emails de boa semana, de bom dia, de bom final de semana, e eu muito segura dos meus sentimentos, do meu casamento e da minha fidelidade, dei corda, fiquei muito envaidecida, quem não gosta de elogios, de carinho.

Levei um pouco na brincadeira, as vezes até cortava as investidas, ai ele recuava e até queria dar a entender que era só uma brincadeira. Quando dei por mim, já estava envolvida, sentia saudades, vontade de vê-lo, ciúmes e o pior, vontade de ficar com ele. Foi, e é muito difícil para mim aceitar que isso estava acontecendo, logo eu, que sempre fui fiel, e sempre critiquei quem não fosse. Enfim, chegamos a um ponto, que ele foi mais claro no interesse dele e me perguntou se eu estava afim o tanto quanto eu demonstrava, eu fui sincera, disse que estava envolvida por ele, mas que eu era fiel, que isso nunca havia acontecido comigo antes, que nós dois tínhamos compromissos, que a coisa não podia ser assim dessa forma, e que eu não queria me arrepender de nada. Ele pareceu compreensivo dizendo que me entendia, e disse que agora que havíamos definido a nossa situação tudo ficaria mais complicado, que deveríamos ir com calma para ver se não era só uma empolgação de momento.

Dai em diante, a situação realmente complicou, primeiro ele disse que eu havia dado um fora nele, mas depois as investidas ficaram mais fortes, as nossas conversas por msn mais “perigosas”, eu cheguei a dizer para ele se afastar, para ele não perder tempo comigo, que eu era fiel, que ele era um cara bonito, simpático, charmoso, legal e que não ia faltar mulher atrás dele, ele foi irônico comigo, disse que tinha vária mulheres atrás dele, a mãe, a tia, a filha e a esposa, depois concordou disse que realmente era melhor assim, mas em dois dias estávamos de novo da mesma forma, um atrás do outro, até que enfim ele me perguntou de novo como nos íamos resolver a nossa situação, e eu disse que não sabia como resolver, que eu tinha duvidas, que querer não era poder, que tinha medo, ai ele disse para gente começar devagar, sem pressa, eu concordei, ai ele perguntou quando, (ele queria marcar uma data), e eu disse que queria pensar,( fiquei desesperada) pedi pra ele pensar também se era isso mesmo que ele queria, para gente não se arrepender, perguntei se ele não tinha duvidas, se não era melhor esclarecer,(coloquei uma porção de empecilhos) ai ele ficou irritado, um pouco grosseiro, disse que claro que ele tinha duvidas e que realmente deveria esclarecer.

Eu disse que ele me deixava muito confusa, que se ele tinha duvidas e era melhor esclarecer primeiro, porque ele ficava me pressionando, ai ele recuou, disse que tinha falado sem pensar, se eu tivesse marcado a data ele não saberia o que fazer e a partir dessa data ele mudou. Eu percebi que ele ficou diferente comigo, eu perguntei e ele me disse que não estava diferente, que só não queria arrumar confusão para mim, não queria me causar problemas, mas que o carinho por mim era o mesmo, que eu continuava sendo prioridade, que jamais era esquecida. Os dias se passaram ele continuou seco comigo, até brincava, falava uma coisa ou outra, mas mudou, mudou muito.

mda banner 2

Eu perguntei se ele me queria por perto, ele disse: lógico que sim, mas continuou seco. Em uma das nossas conversas ele disse que queria muito me entender, que eu pedi tanto que ele se afastasse, e agora que ele se afastou eu estava atrás dele, jogando com ele de novo, ai eu disse que nunca joguei com ele, que eu havia tentado esquecer mais não conseguia, ele disse que também não conseguia esquecer, mas o fato dele se afastar de mim foi bom, porque ele tava saindo do controle, tinha vontade de me agarrar a qualquer hora, que eu não tinha idéia do perigo que corria e que hoje apesar de não ter passado a vontade de ficar comigo, ele estava conseguindo se conter.

Hoje nós nos falamos praticamente todos os dias, mas não como antes, as vezes ele tenta fugir do assunto, vez ou outra diz que é um perigo ficar perto de mim, me faz um elogio, diz que sou carinhosa, faz uma gracinha, mas quando a conversa começa a esquentar ele para na hora. Por que? Não me manda mais emails, mensagens, só manda se for para responder ou agradecer os emails que eu mando. Ai ele até é carinhoso, agradece, diz que sou carinhosa, me manda beijos, mas só, não faz mais nenhum comentário. Eu continuo confusa, triste com esse afastamento, mas fiel, não tive nada com ele, e não quero ter, pelo menos por enquanto. Não acho certo o que está acontecendo, me culpo e me julgo todos os dias por esse sentimento, sei que chegamos a um ponto que não temos mais um que dizer um para o outro, que a conquista acabou, os dois querem, chega ser uma tortura, a situação só não se concretizou.
Pela sua experiência e pelo pouco que contei dessa situação, o que você acha que ele quer com essas atitudes, com essas ironias, com essa frieza, o que ele pensa de tudo isso, porque ele se afastou? Eu descobri o seu blog esses dias, li vários posts, gostei muito da sua sinceridade, me ajude a entender. Obrigada desde já.

 


Olá D.
Em um primeiro momento surgiu o que aparentemente seria um sentimento aliado a uma atração e charme daqui, conversa de lá, elogios de um lado, sorrisos inebriantes do outro. Mas ai colocaram os pés no chão e viram que seria melhor tomar cuidado com certas escolhas porque poderiam comprometer a felicidade atual de ambos em seus devidos relacionamentos.

Agora não entendo a sua dúvida. Se houve uma conversa onde ambos tiveram consciência de que viviam suas vidas, nos seus relacionamentos e isso estaria bem definido, como querer saber o porquê ele não lhe manda emails e mensagens? Porque não se vive somente de emails e mensagens, isso é platônico demais, ou seja, ou realmente acontecia algo e vocês dois ficassem juntos de vez ou então a situação iria esfriando até cada um conseguir caminhar sem suspirar pelo outro.

E é claro que isso aconteceria de forma natural, as vezes estamos vivendo de uma maneira feliz e alguém nos chama atenção, por “n” motivos. Podemos estar satisfeitos com a relação atual e, no entanto sentirmos certa atração, curiosidade ou vontade de lançar-se à uma emoção, mas o preço disso pode ser alto e nem tanto por ser um preço alto mas penso que independentemente de como um relacionamento está a lealdade é um sentimento que devemos carregar conosco principalmente quando algo não está legal.

Esse envolvimento pode ser gostoso e prazeroso? Claro, sem dúvida, mas ao mesmo tempo cabe a reflexão do que um fato como esse tem a ver com o seu relacionamento atual? Como você o encara? O que é o casamento para você? O que ele representa e como ele foi constituído? Às vezes precisamos nos debruçar sobre questões como essas para observarmos o que concretamente estamos vivendo hoje em uma relação a dois porque a rotina e o comodismo podem nos enrijecer, e ai não há mais encanto, surpresas, risadas no plural, sentimento ao olharmos nos olhos.

Sabendo muito bem o que se passa ai dentro, você possa saber o que fazer do seu caminho, mas de maneira leal, para que você possa viver intensamente sem receio, culpa ou arrependimento.
Até mais!!

Márcio Oliveira
[email protected]

Meu Blog: As Palavras

Perfil do orkut (recém criado):

http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=6153601257327704676

AJUDE A MANTER O CÉREBRO MASCULINO NO AR. VISITE OS SITES PARCEIROS!
Siga-nos no twitter:
http://twitter.com/CerebroMasc
e saiba instantaneamente quando o blog é
atualizado.
Envie você também sua história em
www.cerebromasculino.com/contato
que teremos o
maior prazer em ajudá-la. O único local para enviar histórias é através deste
formulário.

Psicólogo, consultor de relacionamentos e quase Mestre pela USP-SP. Meio NERD, completo romântico, mas não abre mão de um intenso beijo na boca e um alinhamento entre coração, corpo e mente.

7 comentários No Pequenas lacunas

  • Olá Márcio,
    Sei q este post é bem antigo, mas gostaria de mexer nele novamente e saber da autora oq aconteceu depois… Estou na mesma situação e quero muito saber como ela saiu disso e se saiu?

    Parabéns pelo blog!!!

    Mika

  • Obrigada pela sua resposta, você tem razão ir e vir é o que mais acontece com gente, principalmente ir. rsrs. E se a vontade fosse assim tão grande de estarmos juntos, isso já teria acontecido. Renunciar é a palavra, difícil demais, talvez fosse mais fácil se não o visse todo santo dia, mas é o melhor a fazer, e desde a sua resposta, é o que tenho tentado, e mesmo chateada, triste, sentindo falta dele, eu estou conseguindo resistir dia após dia. Alguns dias é mais difícil, ele fica me elogiando, flertando, jogando charme, outros dias mais fácil, e assim vou indo. Obrigada mais uma vez pela ajuda.Abraço.Duda

  • Olá Duda, Na verdade a sua situação não mudou muito pois o ir e vir de sentimentos entre vcs permaneceu como o enredo principal dessa história. Eu percebo que as vezes, os homens, mesmo comprometidos, quando tem alguém que se interessa por ele parece que ele quer abraçar a todos e a tudo porque aquilo o preenche de alguma maneira que o faz querer mais e mais. Mas ele quer mais porém não percebe que a vida é um querer e renunciar também em determinados momentos a favor da felicidade não só da própria pessoa como também daquela que também fazia ou faz parte do relacionamento. Isso é justo? Não cabe a mim julgar mas não é algo leal e que pode ter como consequencia, o sofrimento. Nesse sentido cabe a pergunta do ultimo comentário. Se ele sente algo tão forte, o que o impede de tentar, ir além e assumir isso? Talvez seja algo que ele ou até mesmo você tenham que trabalhar dentro de si. Digo ambos porque existe uma relação ai que é alimentada pelos dois e enquanto a “renuncia”, o preço pelas suas próprias escolhas não for assumido há de se pensar que vocês vão “pagando” com suor e tristeza por essa condição que vivem atualmente, mas até quando?
    Até mais!!!

  • Oi Márcio, parabêns pelo blog, o trabalho de vocês é maravilhoso. Eu sou leitora do blog CM já há algum tempo, admiro muito a iniciativa do Dr Neurônio, estou sempre aprendo muito com vocês, e as suas respostas são bárbaras. Andei visitando o seu blog As Palavras é adorei. Na verdade Márcio, eu não quero fazer um comentário sobre esse post, eu quero fazer algumas perguntas, que talvez até ajude a dona dessa história e outras leitoras também. Eu tenho um interesse particular, pois conheço um caso muito parecido e gostaria muito de entender algumas atitudes. Bom, vamos lá aos questionamentos:
    1) o rapaz diz explicitamente sentir uma atração muito forte por ela, mas que algumas coisas envolvidas o impedem de concretizar o que ele realmente quer. Isso existe, Márcio? Uma pessoa com uma atração tão forte, recíproca, conseguir ter a consciência e resistir? Ou é a atração que não é assim tão forte quanto ele diz ou pensa que é?
    2) porque que ao mesmo tempo que ele justifica que não poder ficar com ela, ele alimenta essa relação? Por exemplo: ele poderia só ter dito pra ela que se não fosse tantas coisas envolvidas ele ficaria com ela e ponto. Pra que, porque ele disse que ela não imaginava a vontade que ele tinha de sentir a boca dela, que ele olhava pra ela, que torturador, ficar dizendo isso pra quem esta louca por ele. Isso é só uma contradição de sentimentos? Ele realmente quer muito ficar com ela, mas não pode? Ou ele não quer descantar uma possibilidade, pois ele já deve ter percebido que ela está completamente envolvida por ele, e ele alimentando isso, terá ela sempre por perto? Complicado demais, né? E eu conheço uma história assim. Vou ficar ligada no blog como sempre, esperando sua resposta. Até mais. Um abraço J

  • URGENTE Drº Márcio.
    Oi Drº Marcio, sou Duda do post “Pequenas Lacunas”. Primeiro eu quero parabenizar você, toda equipe do CM e o fundador desse blog tão legal, tão verdadeiro, e tão acolhedor, e quero agradecer também a sua grande ajuda, eu adorei a sua resposta, você conseguiu nas minhas poucas palavras compreender exatamente o que esta acontecendo comigo. E por isso que eu gostaria de conversar mais um pouquinho com você, se for possível, claro. Você Drº tem toda razão, quando diz que é platonico demais viver só de mensagens, que a situação chegou em um ponto que ou ficassemos juntos de vez ou a situação iria esfriar mesmo. O problema Drº é que a situação parece não estar definida, nem pra mim, nem pra ele, oscila o tempo todo, do dia que eu enviei a minha dúvida, a situação já mudou varias vezes, tem dias que a gente se fala e se trata como amigos, como se nunca tivesse existido algo, ou como se tudo estivesse resolvido, outros dias não, a gente se olha o tempo todo, se fica perto parece que vai sair faísca, e quando conversamos por email ou MSN, entre um assunto e outro, a gente acaba falando de nós, do quanto a gente gosta um do outro, da vontade que a gente tem de ficar juntos, e isso pra mim esta sendo enlouquecedor, uma tortura. A descisão de se afastar, foi uma forma desesperada minha, de não cometer nada que eu pudesse me arrepender depois, mas não era o que eu queria na verdade. Ele me disse essa semana que quando a gente não se fala ele fica triste achando que eu me esqueci dele. Hoje ele me disse que se não existisse tanta coisa envolvida, ele jurava que já teria ficado comigo, que eu não sou capaz de imaginar a vontade que ele tem de sentir a minha boca, de me abraçar, que ele passa perto de mim, e fica me olhando, olhando (palavras dele)…Drº Márcio, pela sua esperiência de vida e profissional, me ajude a entender o que ele pretende? O que ele quis me dizer com isso? Ele quer brincar comigo? Sabe Drº Marcio, já é tão dificil a convivência diária, ter que resistir, agir naturalmente, tentar esquecer, e ai ele me diz essas coisas. O que eu faço? Me ajude, por favor. Um abraço . Obrigada.

  • é… tem muito de alimentar o ego nisso, a auto-estima..
    todo mundo gosta de ser paquerado, mas e o seu marido?
    se ele estivesse na mesma situação, você diria que ele é completamente fiel?
    faz diferença colocar-se em situações desse tipo, ser paquerada por alguém. eu, por exemplo, prefiro não arriscar. se você sente falta disso, procure fazer programas românticos com seu marido ou diga que sente falta disso pra ele…
    notou quantas vezes você disse que é fiel nesse email? é pra nós ou ora você mesma que repete isso?

    acho que, se não é para efrentar as consequências dos atos, é melhor se retirar desse jogo.

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.