Super mãezinha ou Super sogra vilã ?

Olá, meu nome é B. e tenho 24 anos e namoro um rapaz há 10. Nosso namoro era muito bom, durante os 6 anos de saímos muito pra barzinhos, festas. A vida era só nos dois. Porem, apos 6 anos, o pai dele descobriu que estava doente, ai tudo mudou: meu namorado assumiu uma responsabilidade que não era dele, a irmã do meio já se encontrava casada, e a mais nova eu tinha certeza que só era terminar a faculdade que ela arranjaria um pra se juntar. Então, o pai dele faleceu, e as coisas ficaram piores.

Desde ai, sempre que se falava em casamento, ele só sabia dizer que ia morar em cima da casa da mãe. Que era um homem de princípios como o pai e que não podia deixar a mãe só, porque ela se mataria ( a mãe dele é do tipo chantagista, e meu namorado é do tipo fraco pra aguentar pressão). Então, hoje com 10 anos de namoro, a irmã mais nova já esta de casamento marcado e a gente continua sem nada pra nós dois. Minha mãe só tem eu de filha, mas em nenhum momento ela me pediu pra morar aqui em cima da casa dela, porque ela sabe o quanto eu almejo minha privacidade com o meu marido.

Ficou muito difícil nossa situação, ele já deixou muitas vezes de sair comigo e dormir comigo porque eu não tinha avisado mais cedo pra  a mãe dele chamar alguém pra dormir lá. E isso me faz muito mal, me sinto trocada. E acho ridículo já que eu e minha mãe não vivemos prisioneiras uma da outra. Eu saio e viajo com ele e minha mãe fica sozinha, e nem morre por isso. Ela quer que eu seja feliz. A mãe dele passa o dia cuidando da netinha, a tarde a filha dela e a filha adotiva ficam lá com ela. A companhia que meu namorado faz a ela é uma dormida, ai já conversei com ela dizendo que ela precisava de uma companhia pra dormir, só isso. Mas ele não vê assim, ele acha que se sair a mãe dele não vai aguentar.

Esta muito complicada nossa situação, eu já tive umas situações chatas com a mãe dele, por exemplo: antes do pai dele morrer, ela me disse para rezar muito pra nada acontecer com o marido dela senão ela seria uma cruz muito pesada na nossa vida. (ele disse que ela disse isso porque estava desnorteada, interessante como as sogras sempre aprontam e ainda saem por santas). Ai teve outras piadinhas que eu não gostei.

Fizemos uma viagem maravilhosa no niver dele, senti o quanto a gente se ama, mas quando chegamos voltou a realidade e o peso da cruz. Conversei com ele, ele me disse que a única coisa que podia fazer era aonde hoje é um deposito da família, ele poderia depois pedir um empréstimo pra fazer uma casa pra a mãe embaixo, e uma pra a gente em cima. Disse que as casas iam ser isoladas, teríamos portões diferentes. Ai eu perguntei, e quando fossemos sair, se ele iria deixar de sair, ai ele disse que como a irmã adotiva dele mora umas cinco casas depois, a mãe poderia ir lá dormir, sem problemas. Mas não sei estou com medo de tudo isso.

Eu fui criada muito independente, saio de casa não digo nem pra aonde vou, só digo vou ali. Já ele não, ele diz pra aonde vai e que já volta. Se ela vier me perguntar pra aonde vou, não irei aceitar… estou pensando muito sabe? Conversei com minhas amigas e cheguei a conclusão de que se eu aceitar que ele faça duas casas (tipo casas geminadas –> uma duplex pra gente e uma normal pra ela, separadas com o muro claro e cujo acesso a ambas as casas seja pelo portão da frente), alem disso estou tentando enumerar muitas condições: tipo não é porque mora vizinho que vai ter que viver lá, eu gosto de ficar sozinha em casa, e sei que o casal precisa desse espaço também; outra coisa toda hora que for sair colocá-la no carro pra ir também (jamais), uma vez ate que vai; quando formos sair a noite e já dizer pra ela que vamos sair e que chame a alguém pra dormir com ela, pois não quero que ela fique ligando enchendo o saco pra saber se já esta perto de ir pra casa…

Sei lá são muitas condições pra que isso der certo. Na verdade, nem sei se isso vai acontecer, nem sei se ela vai concordar de ser casa uma do lado da outra, mas ele tem que ceder também ne? Eu queria um apartamento e tal, e não estou vendo a possibilidade de ceder, então ele tem que ceder também.  O que você acha?


Olá B.,

Uma mãe cria seu filho, cuida, amamenta, aperta, ampara, exige, protege, superprotege, mima, ajuda, orienta, obriga algumas vezes, instrui, educa, informa, atende, com qual objetivo além de proporcionar uma condição de vida no mínimo saudável para que a criança cresça saudável fisicamente e emocionalmente? A velha reflexão é válida. Filhos são do mundo e cabe à quem cria entender que caminhar com as próprias pernas é algo positivo, que enobrece e cria estrutura interna no sujeito para lidar com as questões do mundo e pessoais que surgem ao sorrir, chorar, sofrer, pecar, acariciar e doer dentro de si mesmo.

Acontece que nem todo mundo entende que estar para o mundo não significa abandonar suas raízes (caso essa não tenha deixado marcas tristes e sofridas). E nesse caminho do engano muitos pais acabam algemando pássaros que nasceram para voar. E há também aqueles pássaros cujas asas não batem, cuja dificuldade em enfrentar a menor das alturas é tanta que os paralisa e os impedem de alçar vôos maiores. Com isso criam-se alguns costumes que enraízam as pessoas nas relações, pais que não desgrudam dos filhos, filhos que não desgrudam dos pais, ficar junto claro que pode, afinal de contas é família, mas desde que isso não seja algo que impeça, que restrinja a abertura de possibilidades para se experimentar o que está la fora, o acerto e o erro, o passo e a queda.

Isso vale tanto da parte dos pais quanto da parte dos filhos que cuidam dos pais. Necessitarem de cuidados é uma coisa, agora dependerem emocionalmente é algo perigoso e que pode levar à discórdia. Pra ser bem sincero com você, pela história que contou essa coisa de morar ao lado ou mesmo se fosse perto sinceramente não dá certo. Sendo “grudado” com a mãe desse jeito, estando perto ou não você corre o risco de ficar boas noites sozinha ou até mesmo em companhia da sua excelentíssima sogra pelas “n” queixas que ele pode apresentar por se sentir “desamparada”.  Um psicólogo ou acompanhante terapêutico cairiam bem nessa hein.

Se ele quer cuidar da mãe isso é ótimo, agora tem que haver um bom senso de separar o que é importante, quer dizer essencial para a mãe e fundamental para o relacionamento de vocês. Mãe é uma coisa, esposa é outra e não dá para competir porque são coisas diferentes. Se você ficar se comparando ai sim é arranjar mais dor de cabeça. Voltando a questão da casa, sinceramente não dá certo, a não ser que a mãe dele tome outra postura, coisa que acho difícil principalmente porque já surgiu ai um clima chato entre vocês duas.

mda banner 2

Agora imagina vocês dois naquela pegação gostosa no chão da sala, em cima do móvel da cozinha, na parede do corredor, andando pelados pela casa e de repente ela liga no telefone pedindo pelo filhinho ou batendo à sua porta porque gostaria de companhia. Acontecer uma vez a cada 6 meses até vai, mas isso ai não ta com cara de que será algo esporádico e sim algo constante, chato e insistente.

Pense bem, porque se ele não tiver esse discernimento e coragem para colocar alguns limites para essa situação, não vale a pena você “tentar” acreditar que as coisas se resolverão depois em nome do “amor”.  É nítido que você gosta muito dele e isso até pode ser recíproco, mas não adiantará se existir esse mal estar mal resolvido entre vocês dois. Uma coisa é ele dizer que a mãe pode dormir com a filha adotiva, outra coisa é a mãe cismar que gostaria que ele dormisse com ela para se sentir mais segura. Desculpe, mas temos que pensar na pior das hipóteses porque isso pode acontecer entende? E temos que pensar nisso para que você saiba bem a escolha que está fazendo e se for para ser infeliz com isso, será que realmente valerá a pena? Nada contra, mas apenas tenha consciências dessas possibilidades, pois uma vez feita a escolha, os efeitos disso (bons ou não) você sentirá na pele.

Até mais!!

Márcio Oliveira

[email protected]
Meu Blog: As Palavras

Tem pressa para receber sua resposta? Deseja atendimento personalizado e ao vivo? Assine um Plano VIP.

Siga o Cérebro Masculino nas redes sociais clicando AQUI e saiba instantaneamente quando o blog é atualizado.

Psicólogo, consultor de relacionamentos e quase Mestre pela USP-SP. Meio NERD, completo romântico, mas não abre mão de um intenso beijo na boca e um alinhamento entre coração, corpo e mente.

16 comentários No Super mãezinha ou Super sogra vilã ?

  • Olá!
    Gostaria de desabafar um pouco do que venho passando, e gostaria de uma opinião.
    Meu marido foi meu primeiro namorado, tenho 10 anos com ele 6 de namoro e 4 de casada, ele já aprontou muito comigo e foi nessa que comecei a conhecer minha sogra, pq quando ele me traía, ela na maioria das vezes sabia e sempre acobertava, eu nao ligo que me esconda mais não precisava ela apoiar ele,sendo que ela apoiava ele a me trair. Uma vez ele quando agente namorava ele me deixou em casa e falou que iria pra casa dormir, só que eu resolvir ligar pra casa da mae dele indo ele morava pra da boa noite e dizer que o amava, só que a minha sogra atedeu o telefone e disse que nao ia chamar ele pq ele estava dormindo, eu achei muito estranho e resolvir ir la pra conferir, cheguei la ela nao queria abrir o portao pra mim, eu tbem falei que so ia embora quando tivesse a certeza que ele estava dormindo,quando dei uma de louca ela resolveu abrir o portao,quando eu entrei ele nao estava lá, tinha saido pra balada com os amigos e claro com algas mulheres, e a sogra ainda teve a cara de pau depois de mentir pra mim de me falar que eu tinha que deixar o filho dela se divertir,sendo que na outra semana iríamos noivar. Depois de alguns anos engravidei, a sogra mandou logo fazer um quarto no fundo da casa dela, ela chorou dizendo que nao consegue ficar sozinha, sendo que ela tem uma filha de 28 anos em casa com ela e o marido tbem o meu sogro. mas fui mais rapida e esperta,comprei um ap bem longe da casa dela e casei e fui morar comeu marido quando o nosso filho nasceu, tive uma dificuldade enorme com meu filho pois ele nao dormia de madrugada e nem de dia, eu praticamente nao dormia, no outro dia que eu estava na minha casa feliz foi quando tudo começou, ela ligava 5 horas da manha pra saber se meu marido ja tinha tomado cafe,que horas ele ia sair pra trabalhar, e as vezes 5 da manhaeu filho dormia e era quando eu conseguia dormir um pouco, ai eu me assustava com o telefone tocando e não conseguia dormir mais, quando ele chegava do trabalho ela ligava pra saber se ele chegou e almoçou, quando ele saia ele tinha que ligar pra dizer que estava saindo, todos os dias ela levava alguem a noite na minha casa e dava a desculpa que era pra conhecer meu filho, quando eu pensava que ia discansar quando meu filho as vezes dormia ela aparecia, tinha dia que ela levava gente que eu nunca vi na vida,ate a pessoa nao entendia pq ela tinha convidado pra ir na minha casa sendo que a pessoa nao foi convidada por mim. Chegou uma hora que eu tive que pedir o cancelamento da minha linha de telefone pq eu nao guentava mais as ligaçoes dela, mais ela ligava pro celular do meu marido, e alem de ligar mais de 7 vezes ao dia,quando ele saisse do trabalho tinha que passar na casa dela e a casa dela é bem longe da minha casa,e o que mais eu ficava chateada era que ele nao se incomodava com tantas ligaçoes e ainda contribuia de ir pra casa dela. Um certo dia ela chegou a exagerar, fez meu marido ligar o notbook para ver o que agente fazia dentro de casa e ela vendo pela webcam. E eu nao podia falar nada pro meu marido pq pra ele tudo isso é o amor que ela tem por ele,mais eu nao guentava mais sempre vivia brigando com ele por isso, passou muitos anos e nada disso mudou, se agente fosse pra um motel tinha que ligar pra ela avisar que estava indo e a hora que ia sair. E hj estou em uma crise muito grande por isso,estamos quase nos separando pq ja desgastou, eu nao guento mais, nunca tive privacidade com meu marido e nunca pude falar isso que ela faz pra ele pq ele ja me ameaçava em terminar se falasse da mae dele, e pior que ele nunca enxergou o que ela faz. Ele ja nao esta mais me dando atenção, quando agente briga ele arruma toda roupa dele e fica na casa da mae um mês,depois volta e como eu gosto dele eu o aceito de volta, mais quando ele volta pra casa a metade das roupas dele fica na casa da mae pq ela nao deixa ele levar tudo, pra quando ele dicutir comigo ele pegar tudo denovo e levar e aos poucos todas as roupas dele foram ficando na casa dela. Chegou um dia que eu nao guentei e fui falar pra ela pra deixar meu casamento em paz, pra parar de se meter, e acabou ela se fazendo de vitima e meu marido ficou com tanta raiva de mim que resolveu ficar mais um mes morando com ela,e eu parei de falar com ela. Agora ela inventou de colocar na cabeça dele que por ela ser mais velha ela sabe cuidar do meu filho e eu nao, por exemplo quando meu filho adoece eu levo em um bom medico de confiança ele passa um excelente remedio, ela pede pra ver a receita e fala pro meu marido que arrumei um medico que nao sabe,ai ela mesmo pede pra ele comprar um remedio que ela inventa e ele acaba comprando, ele nao lembra nem que é pro filho dele, antes que qualquer coisa tem que agradar a ela, isso se torna uma idolatria. Meu marido nao conversa as coisas que acontece com ele no dia a dia mais com ela toda hora que ela liga ele fala alguma coisa, eu nunca sei de nada. Eu nao sei mais o que faço, eu gosto dele mais nao estou sendo feliz por causa dessa situação. O vinclo dele com ela chegou a ficar duentil, as vezes tenho esperança que um dia isso acabe mais a cada dia piora, entao eu ja pensei em terminar meu casamento nao estou com coragem pq eu gosto muito dele

  • Oi!!

    Gostaria de repartir minha experiência com vocês e pedir alguns conselhos. Estou casado a um ano e meio e meu marido é totalmente dependente da mãe, contei ontem e havia 8 ligações pra ela em um só dia, enquanto eu trabalho a noite ele vai todos os dias na casa dela, e ela quando sai na casa de uma amiga ou qualquer coisa chama ele para sair e Deus me livre se eu não for, “PORQUE NÃO QUE SAIR”! “PORQUE NUNCA SAI COMIGO” PORQUE ISSO, PORQUE AQUILO”, acontece que algumas situações vem me machucando, é tudo exagerado dezenas de ligações por dia até o final da tarde quando ele vai lá na casa dela para assistir TV. É como se eu não fosse mesmo casado a família dele, como se a família de origem que é a mãe dele fosse um chicletes grudado sem removedor. Ele conta tudo sobre a nossa relação, brigas, carícias TUDO! Ela por sua vez dá opinião em tudo, pra ele é claro e ele sempre segue, hoje ele tinha uma entrevista de emprego e adivinha quem foi junto? É! Não sei mais o que fazer, não quero que ele se afaste dela de hipótese nenhuma, mas que aceite que tem uma dependência emocional que precisa ser tratada a qual ele não reconhece de jeito nenhum, enquanto isso é ouvir ele ligar 8 vezes para ela por dia, aguentar ir todo dia na casa dela e final de semana sem faltar ela na minha casa, e enquanto isso, a minha privacidade como casal fica no escuro, se houver casal 🙁

  • Olá B.
    Identifico-me, totalmente com a história que conta. Sei bem o que é um filho grudado os pais e pais grudados no filho.
    Também namoro com uma pessoa há cinco anos e não ata nem desata. Ele quer viver ao lado dos pais e eu não quero. Ele tem certeza que lá seremos felizes e eu tenho certeza que não o seremos.
    O problema é que ele tem uma mãe que, muito embora seja movida por boas intenções, não encontra satisfação em outras coisas a não ser nos filhos. Em virtude disso percebo que o meu namorado não consegue vislumbrar ser feliz fora do perímetro dos pais. A mãe demonstra estar sempre infeliz e doente quando ele está distante; diz que morre se vier a ter netos longe dela; delineou na sua cabeça o futuro do filho e o meu.

    Num período em que vivi mais perto deles ela fez de mim “sua filha” e foi o pior período da minha vida, pois sentia-me extremamente pressionada a fazer o que ela queria: andava de mãos dadas e dedos cruzados com ela na rua, insistia em dar-me comida na boca, abraçava-me, beijava-me e tocava-me constantemente, quando eu dizia-lhe “não” em alguma coisa ela caía no pranto do “por favor”, isto é, pedia e voltava a pedir de novo que eu fizesse o que ela queria; já me disse que um dia se tivesse filhos iria assistir ao parto para ser a primeira a segurar o bebé; já me disse várias vezes que se morasse ao lado dela, iria fazer-me todas as tarefas domésticas; quando os meus pais me ligavam e ela atendia o telefone e se entendesse que não era oportuno que eu falasse com eles, dizia-lhes que eu não podia atender (podendo, no entanto); já me disse que iria decorar a minha futura casa. etc, etc.

    Tenho a sensação de que, junto a ela, não serei dona da minha vida. E o pior de tudo é que o meu namorado não vê no comportamento da mãe algo de anormal, à semelhança do seu namorado B.

    É muito complicado estar com pessoas assim. Eu, por vezes, desespero!

    Peço também feedback ao meu comentário. Gostaria de saber a opinião de alguém.

  • Concordo plenamente, só sabe quem passa por essa situação, feito eu… não se trata de ciúmes de Sogra, o problema é que existe sogras q enxergam as noras como rivais!!! Aquela q veio "roubar" seu filhinho… Acho esse comportamento e pensamento, anormal pq NUNCA iremos ocupar o lugar da outra… Passo por um problemão desse, pq moro com a minha desde q engravidei e não aguento mais essa situação e já me sinto pronta p/ desistir de tudo, o unico problema é que temos 1 filho no meio disso tudo… o nosso combinado seria Morarmos com ela (sogra) apenas 6 meses, já estou a 2 anos… morar de aluguel ele não quer, quer q eu espere ele juntar $$$ p/ comprar um terreno e construir nossa casa, só q acho isso desculpa p/ continuar aqui….. afinal, isso demora um tempo!!! Essa situação é cômoda demais p/ ele … mas p/ mim se tornou insuportável e insustentável , chegamos ao ponto de não termos privacidade, espaço, nem vida a 2!! Ela se mete em tudo e é muito falsa comigo! Estou esgotada !!! Decidi que Minha prioridade hoje é meu filho e minha Paz… sou jovem e a vida continua !!!

  • Olá, pessoal, obrigada pelo apoio e obrigada ao Márcio por expor a sua posição em relação ao meu problema que é muito complicado de se resolver.
    Brunaaa, a irmã dele que ja era casada na época que o pai faleceu, ja disse a ele que ele fosse cuidar da vida, que ele ja estava com trinte anos e nao tinha feito nada por ele ainda que ela iria cuidar da mae. Mas ele ja colocou na cabeça (com a ajuda da chantagem emocional da mãe, é claro) que se sair de casa a mãe se mata. Ele não foi fazer faculdade fora, nem foi um adolescente de sair muito porque a mãe fingia desmaios pra ele não sair. Ja a filha mais nova teve sorte, sempre pintou e bordou e a mãe enche a boca pra dizer que da maior valor a unica filha que num ta nem ai pra ela, so pra luxo e vida de princesa. è a vida, minha cruz como ela mesmo disse. Eu ja tentei exlicar pra ele que ela so precisava de uma companhia pra dormir, ja que ela passa o dia com as filhas. Mas ele nao entende assim. Nao adianta. 🙁

  • Eu sou muito família e nunca tive problemas com sogras…fica difícil não achar que os dois lados devem ter “problemas”.
    Muitas vezes por não simpatizarem ….

  • Relacionamento com sogra é bem delicado. E acho q não muda viu, nem a atitude dela, nem o comportamento dele, como a Karen falou, só piora. Tentar competir é frustrante, ou você aceita como é (e de coração, ficar se remoendo por dentro é pior) ou toma uma atitude. Ele já sabe a sua posição, e deixou bem claro a dele. Pra ser feliz com ele só adotando a mãe dele como parte integrante do pacote mesmo.

  • Márcio, suas respostas ajudam muito. Até eu vou pedir aconselhamento Premium!!! 🙂

    Caramba, que complicada essa história…. E sempre tive sorte com Sogras, mas algumas familiares nem tanto…. e te digo… Elas não mudam, só pioram…

  • Amor de Mãe X Filho X Mulher..isso da explosão as vezes..
    Desculpe mas te achei um tanto quanto cuimenta… pelo teu texto… tudo bem que ela nao deve ser fácil…Exige demais dele…faz pressão… chantagem emocional…..
    O Márcio descreveu tudo..exatamente tudo o correto (não sei porque ainda me admiro com isso ainda.. 🙂 rsrs) ….
    Enfim.. Tenha um pouco de paciência tmb..mãe é mãe… seja mais flexível tmb…O Amor dele por vc é totalmente diferente do que ele sente pela mãe dele..São amores diferentes…. vcs duas têm que aceitar isso.. infizmente… e vc nao bata de frente com ela nao.. porque perderá feio… ela por toda a vida será a mãe… e vc um dia talvez não exista mais na vida dele… pense numa situação… vc amaria e admiraria um homem o qual abra mão (uma hipótese) desprezasse a mãe por vc? eu nao amaria mais esse homem.. se ele é capaz de fazer isso com a própria mãe..imagina que fará um dia com a esposa… vc tem que sentir admiração.. por ele.. ja dizia um velho ditado que um ”’bom filho… será um ótimo pai””…Claro e mais que óbvio que vcs nao conseguirão morar próximos.. ela vai tecer em volta de vcs… ele vai ficar com pena…vai ceder..
    Teria como vc entrarem num acordo com os outros filhos..?.. façam rodízios..contrate enfermeira e ela terá que aceitar…
    Situação bem difícil pra vcs..
    ser mais flexível… Sua relação com tua mãe é uma.. dele é outra..não as compare.
    Coloque um limite pra isso…converse com teu namorado…fale como vc se sente em relação a tudo isso…peça pra ele pensar um pouco em vc… que precisa da atenção dele tmb..
    Boa sorte..

  • Ahh obrigado Reysi pelo comentário, alias obrigado a todas, confetes sempre são bem vindos 😉

  • Olá Lu, sua opinião também é importante. É claro que as coisas podem ser combinadas desde que as partes consigam cumprir isso. Nada contra com certeza, afinal de contas os pais tiveram seu percurso que contou com sacrifícios (pelo menos os que exerceram a função), disponibilidade, paciência e compreensão.

    Retribuir isso com o ato de cuidar é o mínimo que poderíamos fazer, mas dentro da questão apresentada há uma certa mistura entre o que a mãe dele entende como filho e o conceito de esposo da nora e isso que acaba dificultando a relação.

    Há de se tentar um acordo, ou não. rs

  • Ahh quanto a isso de voar, sou super apegada a minha mãe. É meu amor a ela e mnha vontade de cuidar dela que me motiva a ser uma pessoa melhor, a ser uma profissional melhor e a ganhar melhor. Eu iria para outro país se necessário mas a levaria para perto de mim assim que conseguisse. Quando ao meu namorado ele não pensa como eu mas eu o já deixei ciente. =]

  • Eu acho que a mãe dele deve se intrometer menos da vida de vcs! Agora eu concordo com ele, mãe é única e, amores vão e vem. Eu não admitiria alguém que não aceitasse meu relacionamento com minha mãe. Sou a única com ela pode contar, as vezes exigo meu espaço mas quero ela perto de mim. A idade chega e os pais viram “crianças” de novo. É essa realidade. é díficil mesmo. Eu jamais a colocaria para morar longe de mim. Eu acho que vc deve ser menos egoista. Se coloque no lugar dela tb. Não á fácil ficar sozinha depois de ter criado todos os filhos. Eu cuidaria da minha sogra só deixaria claro para ela como seriam as coisas. E que mal tem em atender o telefone quando vcs sairem, digam como estão e pronto. Se tiverem muito ocupados coloquem o tel no silencioso. Muro entre as casas ? Acho que se rolar uma conversar esclarecedora sem cobranças quem sabe as coisas não se acertariam entre todos vcs. Eu penso assim mas é uma questão pessoal. Vai que a mulher é bruxa mesmo ou vai que é vc que é um pouco egoísta. Cda um tem sua versão.

  • Eita, que coisa hein….
    Bem eu sofri na pele esse lance de mãe que não quer cortar o “cordão umbilical”, minha mãe usou altas chantagens, dizendo que lugar de filho é perto dos pais, que criou durante 22 anos pra chegar nessa fase da vida e ser abandonada pela filha, que me carregou 7 meses na barriga e eu no fim não dei valor nenhum,hahaha,podia ser até atriz de novela mexicana. Mas nesse caso aí, o lance é mesmo cortar esse contato direto,acredito que um casal já tem problemas demais no início de uma relação, pra ter uma outra pessoa interferindo.

    O lance da pegação no chão da sala, ui deu até vontade de casar…rs

    Agora os confetes pro Márcio ,,,,Que estrofe mais lindinha…

    E nesse caminho do engano muitos pais acabam algemando pássaros que nasceram para voar. E há também aqueles pássaros cujas asas não batem, cuja dificuldade em enfrentar a menor das alturas é tanta que os paralisa e os impedem de alçar vôos maiores.

  • Sim, ela vai te infernizar. Sim, ela vai se meter. Sim, isso não vai dar certo. E vc mesma sabe disso!

    Ela vai fazer da casa de vcs uma extensão da residência dela… E quando ela te chamar pra almoçar e vc não quiser ir (por exemplo)? Ela vai encher a cabeça do seu marido, dizendo que foi desfeita e blábláblá…
    E vai piorar quando vcs resolverem ter um filho…. ela vai querer se apropriar dessa criança… rs
    Tem muita sogra que acha que quando o filho casa, pronto… ela perdeu o “posto de importância” na vida do filho. Mas como o Márcio sabiamente disse (aliás o post inteiro merece aplausos!): “Mãe é uma coisa, esposa é outra e não dá para competir porque são coisas diferentes.”

    Você precisa ter uma conversa franca com o seu namorado e impor os limites pq se esse ‘cordão umbilical’ não for cortado agora, ah meu bem… sem chance!!!

    Boa sorte!
    bjs 😉

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.